Notícias

Auxílio Emergencial

Caixa reitera: trabalhadores não precisam ir à agência para receber benefício

Beneficiários do Bolsa Família, informais e microempreendedores individuais começam a receber o auxílio nesta quinta-feira (16)
Publicado em 15/04/2020 18h02 Atualizado em 16/04/2020 12h19
Aplicativo proporciona facilidade aos trabalhadores para cadastramento, consulta e até saque

Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

A Caixa Econômica Federal tem alertado aos trabalhadores que não é necessário ir até uma agência ou casa lotérica para cadastramento, consulta ou saque do Auxílio Emergencial. E, para quem é beneficiário do Bolsa Família, o auxílio começa a ser pago direto na conta nesta quinta-feira (16) e seguirá o calendário normal do programa. Mais de 12 milhões de famílias devem ser beneficiadas.

Trabalhadores informais e microempreendedores individuais que se cadastraram pelo aplicativo também começam a receber o auxílio nesta quinta-feira, por meio de conta indicada ou da conta digital da Caixa. Devem receber primeiro quem fez requerimento entre os dias 7 e 10 de abril.

A Caixa informou que, até o final da quarta-feira (16), já foram pagos R$ 3,2 milhões para quase cinco milhões de pessoas.

O cadastramento pode ser feito pelo aplicativo Caixa | Auxílio Emergencial e pelo site auxilio.caixa.gov.br.  O acompanhamento da solicitação está disponível somente pelo site e pela central telefônica exclusiva 111. É possível conferir, inclusive, se o cadastro para receber o benefício foi aprovado.

Para os trabalhadores considerados aptos a receber o auxílio emergencial, a Caixa está abrindo automaticamente a Poupança Digital Caixa.  Os que receberem o crédito por meio dessa conta podem, por exemplo, pagar boletos e contas de água, luz, telefone, entre outras. É possível também efetuar transferências ilimitadas entre contas da Caixa ou realizar gratuitamente até três transferências para outros bancos a cada mês, pelos próximos 90 dias.

O acesso e a movimentação da Poupança Digital Caixa ocorrerá pelo app Caixa Tem, disponível para download nas lojas de aplicativos Google Play e App Store.

Para utilizar o aplicativo, que tem fácil navegação e baixo consumo da memória do celular, basta que o usuário se cadastre utilizando o CPF. Além de movimentar a poupança digital, será possível consultar FGTS, PIS, Bolsa Família, entre outros serviços.

Baixe aqui o aplicativo para sistema Android ( Google Play)

Baixe aqui o aplicativo para sistema iOS ( App Store)

CPF

Cerca de 84 mil contribuintes conseguiram regularizar o CPF entre segunda e terça-feira passada (14). Todos os pedidos de regularização feitos nesses dois dias foram atendidos pela Receita Federal. Para solicitar a correção do CPF irregular, basta acessar o site da Receita, na página CPF. 

Saque em espécie

De acordo com a instituição, na data prevista para início do saque em espécie, o cliente terá esta opção habilitada no aplicativo Caixa Tem. A partir daí, basta informar o valor a ser retirado e um código autorizador será gerado para saque nos caixas eletrônicos e casas lotéricas.

Com o objetivo de evitar aglomerações nas agências e unidades lotéricas, o que exporia empregados, parceiros e clientes ao risco de contágio, a Caixa escalonou o calendário de saque. Lembramos que os recursos creditados na Poupança Digital podem ser utilizados através do app Caixa Tem para pagamentos e transferências, entre outros serviços.

Confira o calendário de saque em espécie da poupança digital sem cartão nos canais de autoatendimento e lotéricas:

27 de abril – nascidos em janeiro e fevereiro

28 de abril – nascidos em março e abril

29 de abril – nascidos em maio e junho

30 de abril – nascidos julho e agosto

04 de maio – nascidos em setembro e outubro

05 de maio – nascidos em novembro e dezembro

Bolsa Família

Os beneficiários do Bolsa Família receberão automaticamente o crédito do auxílio no mesmo calendário e da mesma forma do benefício regular. Não será possível acumular os benefícios. Neste caso, será creditado o benefício de maior valor para todos que tiverem direito.

Fonte: com informações da Caixa Econômica Federal