Notícias

Agricultura

Conab estima novo recorde na produção de grãos

Safra 2019/20 pode alcançar 248 milhões de toneladas
Produção pode alcançar novo recorde com 248 milhões de toneladas

Crédito: Camila Domingues/Palácio Piratini

A estimativa da safra 2019/20 de grãos aponta uma produção de 248 milhões de toneladas, com aumento de 2,5% ou 6,1 milhões de toneladas em relação a 2018/19. Os números registram novo recorde da série histórica e foram divulgados, nesta quarta-feira (8), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em seu quarto levantamento.

De acordo com o secretário substituto de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Wilson Vaz de Araújo, os bons indicadores que sinalizam a obtenção de novo recorde de produção se deve especialmente ao bom desempenho dos financiamentos para o setor. “Nunca se teve uma liberação e contratação tão forte de crédito oficial como o registrado nos primeiros seis meses do plano safra (julho a dezembro)”. O que representa, na avaliação do secretário, o sentimento de confiança, de credibilidade não apenas dos produtores, mas também das cooperativas e dos agentes financeiros na agricultura brasileira.

A cultura da soja, que vem mantendo a tendência de crescimento nesta temporada, deve registrar aumento da produção em 6,3% na comparação com o ciclo passado (2018/2019), chegando a 122,2 milhões de toneladas.

Para o milho, a previsão é de uma produção de 26,6 milhões de toneladas, com ganho de 3,8% sobre a safra de 2018/19. Fatores como o aumento nas exportações brasileiras do cereal e, no mercado interno, derivados da demanda por confinamento e produção de etanol contribuíram para a alta na produção.

O algodão, apesar da tendência de crescimento significativo de área nas duas últimas safras, apresentou uma variação positiva menor de 2,7%, atingindo 1,6 milhão de hectares. Já a produção do caroço deve chegar a 4,1 milhões de toneladas e a da pluma em 2,8 milhões de toneladas.

Os números do feijão primeira safra mostram redução de 1,9% na área em comparação com a temporada passada. A cultura perde espaço para a soja e o milho que apresentam melhor rentabilidade. Também o trigo cuja safra está finalizada, deve alcançar 5,15 milhões de toneladas e redução de 5% em relação a 2018. O arroz apresenta tendência para uma redução de 0,7% na área e produção de 10,5 milhões de toneladas.

Em entrevista exclusiva para a Voz do Brasil, a  ministra Tereza Cristina afirmou que o estímulo à agropecuária ocorre com diversas políticas públicas que auxiliam o produtor brasileiro a investir mais.

“Com certeza isso traz segurança ao agricultor, que ele vai plantar, que ele vai ter mercados abertos, que ele tem certificados sanitários para vários países, que ele possa mandar o seu produto e seu produto seja recebido e qualificado para esses países que o Brasil exporta.”, disse Tereza Cristina.

A ministra também fez um balanço sobre o trabalho realizado em 2019, ano que foi marcado pela assinatura de acordos comerciais e parcerias de investimentos estrangeiros no Brasil que trouxeram estímulo à produtividade do agronegócio. China, Vietnã, alguns países árabes e Peru são alguns dos exemplos. Tereza Cristina também falou sobre a agenda da pasta para 2020, que inclui viagens à Alemanha, para uma pauta institucional, a Semana Verde;  e à Índia, onde a ministra deve dialogar sobre bioenergia e comércio de carne de aves.

 

 Fonte: Com informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e da Voz do Brasil