Notícias

GOVERNO DIGITAL

Plataforma WikiLibras é aperfeiçoada para melhorar acesso de pessoas surdas aos conteúdos da internet

Novidades da ferramenta, que já dispõe de 17 mil sinais em Libras e realiza três milhões de traduções por mês, serão apresentadas nesta quinta-feira (10/9) em webinário
Publicado em 09/09/2020 18h14

Com 17 mil sinais já disponíveis em Língua Brasileira de Sinais (Libras) e três milhões de traduções realizadas por mês, a plataforma Wikilibras vem sendo constantemente aperfeiçoada para melhorar o acesso de pessoas surdas. As recentes novidades serão lançadas nesta quinta-feira (10/9), às 15 horas, em webinário com transmissão pelas redes sociais do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). O secretário de Governo Digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Monteiro, participará da atividade.

A plataforma – desenvolvida em 2016 pela Secretaria de Governo Digital, em parceria com a Universidade Federal da Paraíba e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa – em 2016, passou a contar com mais integrações e funcionalidades ao longo dos anos. Uma das novidades é que agora receberá colaboração mais efetiva do MMFDH.

As principais melhorias previstas são aperfeiçoamento do conteúdo que chega  à população surda; mais colaborações dos usuários e especialistas no assunto; capacitação de animadores nessa construção corporal – que é fundamental para a inclusão das pessoas surdas; e criação totalmente automatizada de sinais.

O que é a plataforma

Wikilibras é uma plataforma colaborativa que promove a construção de novos sinais e a melhoria das traduções para o dicionário de sinais da Suíte VLibras. Já a VLibras é um conjunto de ferramentas computacionais, de código aberto, que traduz conteúdos digitais – texto, áudio e vídeo – para Libras, tornando computadores, celulares e plataformas online acessíveis para as pessoas surdas.

Com a nova versão do Wikilibras, o processo de criação de sinais se torna totalmente automatizado. A plataforma também estabelecerá perfis específicos para cada etapa do processo: colaboradores, animadores e especialistas.

“O relançamento da plataforma WikiLibras é um momento bastante oportuno e necessário para convidar pessoas interessadas, a comunidade surda, linguistas, especialistas em Libras e intérpretes de Libras para contribuírem na evolução da Suíte VLibras”, destaca a titular da Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SNDPD), Priscilla Gaspar.

Acordo de cooperação

Em julho deste ano, a Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, do Ministério da Economia, e a Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SNDPD), do MMFDH, firmaram Acordo de Cooperação Técnica com o objetivo de estabelecer uma comunicação  entre as ações no processo de avaliação, melhoria, colaboração, gestão e apropriação da ferramenta.

O acordo prevê o planejamento de uma política de acessibilidade capaz de reunir a comunidade interessada na operacionalização do processo de correção e adição de novos sinais na plataforma – já que estão previstas melhorias contínuas do processo de tradução.

“Estamos entregando para a comunidade um ferramental tecnológico com um potencial enorme de resolver, se não em sua totalidade, a maior parte das barreiras de acessibilidade em conteúdos digitais para pessoas surdas usuárias de Libras. Entretanto, a gestão da plataforma, a apropriação, a capacitação e a colaboração por parte da comunidade serão essenciais para a sustentabilidade ”, ressalta o analista da Tecnologia de Informação da Secretaria de Governo Digital, César Bomfim.

Além do lançamento das novidades no WikiLibras, serão disponibilizados dois cursos em videoaulas: um voltado à capacitação de animadores e o outro sobre as regras de descrição formal da língua de sinais. Nesse último, os participantes aprenderão regras formais da Libras e como elas são interpretadas pelo elemento de tradução do VLibras em módulo de inteligência artificial.

Acompanhe mais informações: https://www.facebook.com/direitoshumanosbrasil

 *Com informações da Comunicação do MMFDH