Notícias

O papel do fisioterapeuta no tratamento da Covid-19

Publicado em 09/06/2021 10h22
Foto_site.jpg

Cláudia Pessoa Bomfim, fisioterapeuta do CHC-UFPR/Ebserh

 

Outro profissional essencial para o tratamento do paciente que contraiu a Covid-19 é o fisioterapeuta. É ele quem realiza procedimentos e manobras que visam garantir a integridade dos movimentos respiratórios, por exemplo, que são extremamente afetados pelo coronavírus.

Há 35 anos no CHC Cláudia Pessoa Bomfim, fisioterapeuta, conta que com a pandemia recebeu treinamentos e foi para a linha de frente para reforçar o trabalho dos colegas que atuavam em unidades de internação Covid-19.

Bomfim recorda do dia em que a supervisora solicitou profissionais para compor as equipes que estavam atendendo na Enfermaria Respiratória 1. “Eu levantei a mão e pensei que era o melhor a fazer naquele momento’.
Um ano depois, Cláudia faz o balanço da decisão:

“Na enfermaria recebemos os pacientes que vêem encaminhados com Covid moderado para grave, aqueles que já evoluíram com hipoxemia e necessitam de suporte de O2. A função do fisioterapeuta neste momento é atuar para a otimização pelas diferentes formas de ventilação espontânea , da oferta de O2, com fisioterapia respiratória e prevenção de perda da funcionalidade e profilaxia circulatória. Tudo isto para tentar evitar que o paciente evolua com necessidade de ventilação invasiva , a entubação e consequente necessidade de UTI”.

Os fisioterapeutas atendem ainda pacientes que recebem alta da UTI e devem recuperar função pulmonar e/ou motora após período em Ventilação Mecânica:

“Aí nosso trabalho é de reabilitação. E, novamente, funciona como equipe multiprofissional: o desmame, a evolução para retiradas de traqueostomia , recuperação de posturas como a sentada e evolução para a ortostase (ficar em pé) e poder andar. Tenho certeza que em todas as fases da doença a atuação do fisioterapeuta é fundamental e o que me dá está certeza é a alta dos pacientes”.

Valéria Cabral Neves, fisioterapeuta há 27 anos na UTI Pediátrica do CHC-UFPR/Ebserh, hoje atuando na área Covid Pediátrica, conta que “o trabalho de terapia intensiva sempre é muito dinâmico, temos muito trabalho em ambiente complexo, que exige atenção constante”.

Na equipe multiprofissional, tanto na UTI quanto nas enfermarias, o papel do fisioterapeuta é essencial para acompanhar pacientes com Covid-19:

“Trabalhamos com paciente em sua fase mais grave, o momento do desconforto respiratório, bem como, a transição da ventilação artificial para a respiração espontânea que é o nosso objetivo principal: a retirada da ventilação mecânica”.