Notícias

REFERÊNCIA

Evento internacional premia pesquisas do LAIS sobre Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA)

Laboratório do Huol-UFRN/Ebserh desenvolveu trabalhos com benefício direto aos pacientes
Publicado em 23/04/2021 11h12 Atualizado em 23/04/2021 11h13
ela_capa.jpg

Pesquisadores do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS), do Hospital Universitário Onofre Lopes, vinculado à Universidade Federal do Rio Grande do Norte e à Rede Hospitalar Ebserh (Huol-UFRN/Ebserh), conquistaram os três primeiros lugares da premiação científica oferecida pelo 3º Simpósio Internacional da ELA, que discute os desafios do Brasil na atenção de pacientes diagnosticados com a doença. O evento promovido pelo Instituto Dr. Hemerson Casado Gama, de Maceió, acontece de forma virtual, entre 22 e 24 de abril.

Os trabalhos laureados são: “Desenvolvimento de interface cérebro-máquina de baixo custo visando o controle de órtese ativa para pacientes com ELA” – autoria de Severino P. N. Netto, Aryel M. Matias, Julia A. Amorim, Ana R. R. Lindquist, Danilo A. P. Nagem; “Sistema de rastreabilidade para cadeira de rodas autônoma para pacientes com Esclerose Lateral Amiotrófica” – autoria de Juliette de Paula Felipe de Oliveira, Ernano Arrais Júnior, Daniele Montenegro da Silva Barros, Danilo Alves Pinto Nagem e Ricardo Alexsandro de Medeiros Valentim; e “EMG de superfície para avaliação quantitativa da função motora: protocolo de avaliação para pessoa com ELA” – autoria de Ana Paula Mendonça Fernandes, Débora Cristina da Silva Oliveira, Ledycnarf Januário de Holanda, Ana Raquel Rodrigues Lindquist).

De acordo com o diretor executivo do LAIS, Ricardo Valentim, o resultado mostra a consolidação do laboratório no desenvolvimento de tecnologias para pessoas com deficiência. “Termos trabalhos aprovados nas áreas em questão mostra que estamos no caminho correto, desenvolvendo tecnologias importantes para a área da saúde. É uma colaboração feita de maneira horizontal, que produz conhecimento e traz inovação para as pessoas com ELA. Recebemos com muito orgulho, mas também muita responsabilidade”, celebra.

Valentim ainda destacou que os projetos beneficiam diretamente os pacientes com a doença. Para ele, isso revela o perfil do LAIS, de aplicabilidade prática das pesquisas e impacto na vida das pessoas. “Ainda existe um caminho a ser seguido neste campo da ELA. Portanto, isso não nos envaidece. Pelo contrário. Só reforça nossa responsabilidade para com a vida das pessoas, produzindo do que há de mais sofisticado no mundo nessa área”, completa o pesquisador.


Sobre a Rede Ebserh

O Huol faz parte da Rede Hospitalar Ebserh desde agosto de 2013. Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.