Notícias

SOLIDARIEDADE

Hospital da Rede Ebserh em Brasília cria Correio Afetivo na luta contra a Covid-19

Objetivo é receber cartas de apoio, que depois serão entregues aos pacientes
Publicado em 04/05/2021 11h01 Atualizado em 04/05/2021 10h59
04052021 correiafetivo hub.png

mensagens devem ser escritas preferencialmente à mão, digitalizadas e enviadas para o email comhumanizacao.hub@ebserh.gov.br

Brasília (DF) - O Hospital Universitário de Brasília (HUB-UnB), que faz parte da Rede Ebserh, convida os colaboradores e toda a população a participar de mais um projeto para humanizar ainda mais os atendimentos da unidade. O Correio Afetivo tem como objetivo receber cartas de apoio que depois serão entregues aos pacientes internados na enfermaria Covid-19 e aos profissionais que atuam no serviço.

As mensagens devem ser escritas preferencialmente à mão, digitalizadas e enviadas para o email comhumanizacao.hub@ebserh.gov.br. A correspondência será impressa, plastificada e via compor exposição que circulará pela enfermaria covid.

‘‘A ideia é que os profissionais sintam o reconhecimento e o afeto da população’’, ressalta a presidente da Comissão de Humanização e chefe da Unidade Psicossocial do HUB, Silvia Furtado. ‘‘O afeto é curativo. Queremos ajudar não só pacientes e profissionais, como também estimular a solidariedade e o afeto na população’’, complementa a médica idealizadora da iniciativa, Isadora Jochims.

 Ações de humanização

O Correio Afetivo é apenas uma das estratégias de humanização adotadas pelo HUB ao longo da pandemia. O exemplo mais recente é o Prontuário Afetivo, também idealizado pela Isadora, que propõe a criação de perfis com os gostos pessoais dos pacientes que passam pelo tratamento contra o novo coronavírus no HUB.

O paciente deixa de ser apenas um número e passa a ser uma pessoa que tem gostos, família, hábitos. Isso humaniza o cuidado e muda a relação dos profissionais com o paciente”, explica Isadora Jochims.

Outros exemplos são as visitas virtuais, que permitem o contato do paciente com o familiar, e o projeto Cuidar, que leva atendimento em saúde mental para os colaboradores do hospital.

Com informações do HUB