Monitoramento do desmatamento

Publicado em 19/04/2021 18h38

O Censipam desenvolveu um sistema de monitoramento do desmatamento na Amazônia chamado de SipamSAR. O sistema utiliza radares de abertura sintética (do inglês Synthetic Aperture Radar: SAR) a bordo de satélites para realizar o monitoramento da superfície terrestre.

A tecnologia SAR é capaz de enxergar o terreno mesmo que ele esteja sob cobertura de nuvens. Desta forma, durante a época de fortes chuvas na Amazônia, que duram cerca de oito meses, o radar consegue obter imagens do terreno e monitorar o desmatamento.

Analistas do Censipam desenvolveram uma metodologia de detecção semiautomática de desmatamento com uso de imagens de radar. Assim, o SipamSAR produz alertas de desmatamento que são disponibilizados para órgãos de fiscalização ambiental, como Ibama e ICMBio.

Para receber dados em tempo real, duas antenas multissatelitais estão em processo de instalação em Manaus (AM) e Formosa (GO). A posição estratégica das antenas permite o recebimento de informações diretamente de satélites brasileiros ou estrangeiros em todo de território nacional.

Com o avanço da tecnologia SAR, estão disponíveis constelações de satélites, que o Censipam possui acesso, garantindo um aumento na repetitividade e na rapidez na emissão dos alertas de desmatamento durante todo o ano. Além disso, o Censipam utiliza imagens com maior resolução (podendo chegar a um metro), o que gera maior precisão aos alertas emitidos.