Movimento Parto Adequado

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o Hospital Israelita Albert Einstein e o Institute for Healthcare Improvement (IHI) atuam juntos no Movimento Parto Adequado.
Publicado em 04/02/2015 20h27 Atualizado em 09/04/2021 15h00

Gravidez e Coronavírus: materiais para hospitais e profissionais de saúde

Conheça e divulgue as informações dirigidas especialmente aos gestores e profissionais de saúde dedicados à atenção à saúde materna e neonatal durante a pandemia. O conhecimento sobre o Covid-19 tem avançado diariamente e o material está sujeito a revisões frequentes. Verifique esta página periodicamente e mantenha-se atualizado.

Clique e baixe os arquivos Gravidez e Coronavírus (.zip) – atualizado em 04/05/2020.

Protocolos para o atendimento a gestantes e bebês durante a pandemia do Coronavírus (.zip)

Plano de contingência COVID-19 (.xlsx)

Imagem-Parto_Adequado-Coronavirus.png

Orientações para o cuidado de profissionais, gestantes e bebês na pandemia

A série de reuniões virtuais “Gravidez e Coronavírus” divulga um conjunto de instruções para prestação de assistência segura e qualificada a gestantes e bebês no contexto da pandemia, preservando também a segurança dos profissionais de saúde.

Inscrições para Ciclo Intensivo da Fase 2 do Parto Adequado

Operadoras de planos de saúde e hospitais de todo o Brasil podem se inscrever para o Ciclo Intensivo da Fase 2.

Veja aqui o edital da inscrição para Ciclo Intensivo da Fase 2 do Parto Adequado (.pdf)

Veja aqui o aditivo ao edital de inscrição para o Ciclo Intensivo da Fase 2 do Parto Adequado (.pdf)

O Movimento Parto Adequado, desenvolvido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) e o Institute for Healthcare Improvement (IHI), com o apoio do Ministério da Saúde, tem o objetivo de identificar modelos inovadores e viáveis de atenção ao parto e nascimento, que valorizem o parto normal e reduzam o percentual de cesarianas sem indicação clínica na saúde suplementar. Essa iniciativa visa ainda a oferecer às mulheres e aos bebês o cuidado certo, na hora certa, ao longo da gestação, durante todo o trabalho de parto e pós parto, considerando a estrutura e o preparo da equipe multiprofissional, a medicina baseada em evidência e as condições socioculturais e afetivas da gestante e da família.

parto_adequado_nov_2019.jpg

Veja aqui o Posicionamento do Projeto Parto Adequado sobre as cesarianas no Brasil (.pdf)

Conheça as fases do Projeto

O Parto Adequado teve início em 2015, com o objetivo de apoiar e instrumentalizar a implementação de ações baseadas em evidências científicas no setor suplementar de saúde, para reduzir de forma segura o percentual de cesarianas desnecessárias, aumentar a qualidade e a segurança da atenção ao parto e nascimento.

O Projeto foi estruturado nas seguintes fases:

Fase 1: fase piloto, entre 2015 e 2016, que contou com a participação de 35 hospitais e 19 operadoras de planos de saúde. Essa fase foi caracterizada por testes iniciais, que demonstraram a viabilidade do projeto.

Fase 2: fase de disseminação, de 2017 a 2021. Entre 2017 e 2020, participaram 108 hospitais e 60 operadoras de planos de saúde. No Ciclo Intensivo da Fase 2, de 2020 a 2021, ainda em curso, participam 28 binômios de operadoras e hospitais, com acompanhamento mais próximo e metas mais desafiadoras. Essa fase se caracteriza por estender a intervenção a uma variedade de prestadores e operadoras que representam o país. Nessa fase, já foram evitadas 20 mil cesarianas desnecessárias.

Fase 3: contempla medidas para promover a disseminação das estratégias de melhoria da qualidade da atenção do parto e nascimento em grande escala, com possibilidade de inclusão do conjunto de maternidades e operadoras do país.

FASE 3 Fase da Campanha Nacional
Ciclo Intensivo da Fase 2 28 Binômios
FASE 2 108 Hospitais
60 Operadoras
FASE 1 35 Hospitais
19 Operadoras

Movimento pelo Parto Adequado - Fase 3

Campanha Nacional

A Fase 3 Parto Adequado foi lançada em outubro de 2019 e tem como lema “Construindo um Movimento para a Saúde, Segurança e Equidade na Gestação e no Parto” Para ampliar está sendo criado um Movimento pelo Parto Adequado, que tem como objetivo promover a disseminação das estratégias de melhoria da qualidade da atenção do parto e nascimento em grande escala, com possibilidade de inclusão do conjunto total de maternidades e operadoras do país.

Várias estratégias estão sendo implementadas para transformar e qualificar a atenção ao parto e nascimento no país, por meio de uma grande coalisão entre os principais atores, abrangendo todo o setor de saúde suplementar.

arte-movimento-parto-adequado-fase-3.png

Participantes

Reuniões (SAP)

Parto na Mídia

Direitos da Gestante

Painel de Indicadores da Atenção Materna e Neonatal

A ANS passou a divulgar o Painel de Indicadores de Atenção Materna e Neonatal como uma estratégia de Fase 3 do Parto Adequado para promover a transparência das informações relativas ao parto e nascimento no setor suplementar de saúde.

A melhor prática regulatória e de gestão em sistemas complexos requer o monitoramento e a divulgação de informações, de modo a identificar a adequação de práticas assistenciais e as oportunidades e necessidades de melhorias. O Painel é composto por um conjunto de indicadores consolidados e contribui para a realização de pesquisas e para a diminuição da assimetria de informações no setor, disponibilizando dados relevantes para a sociedade sobre as características da atenção prestada pelas operadoras atuantes no setor suplementar de saúde e por hospitais e maternidades privados.

Os Indicadores da Atenção Materna e Neonatal podem ser consultados por operadora de planos de saúde e por hospital/maternidade, aplicando-se diferentes filtros, como por unidade da federação (UF). Os dados são exibidos em percentuais e gráficos. Os cálculos são realizados com base em dados extraídos do Padrão TISS (Padrão de Troca de Informações em Saúde Suplementar), do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC/MS) e em bases de dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). As fichas dos indicadores são divulgadas e permitem saber mais sobre o método de cálculo. A publicação é uma ação integrada com a Fase 3 do Parto Adequado, cujo lema é: “Construindo um Movimento para a Saúde, Segurança e Equidade na Gestação e no Parto”. O objetivo é promover a disseminação das estratégias de melhoria da qualidade da atenção do parto e nascimento em grande escala, com possibilidade de inclusão do conjunto total de maternidades e operadoras do país.

Os indicadores da Atenção Materna e Neonatal dizem respeito a todos os prestadores de serviços e operadoras de planos de saúde em atuação na saúde suplementar, não apenas aos participantes do Parto Adequado.

Veja aqui o painel de indicadores

Veja aqui a Ficha dos Indicadores

Obrigatoriedade de Credenciamento de Enfermeiros Obstétricos e Obstetrizes

Resolução Normativa 398/2016, que dispõe sobre a Obrigatoriedade de Credenciamento de Enfermeiros Obstétricos e Obstetrizes por Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde e Hospitais que Constituem suas Redes e sobre a Obrigatoriedade de os Médicos Entregarem a Nota de Orientação à Gestante.

Confira o FAQ da Resolução Normativa 398/2016 (.pdf)