Notícias

Pandemia

Com parcerias e investimentos de R$ 6,4 milhões da Ebserh, HU de Campo Grande adquire equipamentos e disponibiliza leitos para combate à Covid

Abertura de 10 leitos e aquisição de insumos visa desafogar sistema de saúde local
30072020 leitos humap.jpg

Para a disponibilização dos leitos, Ebserh também realizou contratações temporárias. Crédito: Chico Ribeiro

Campo Grande (MS) – Foi inaugurado nesta segunda-feira, 27, o segundo Centro de Tratamento Intensivo (CTI II) da Ala Covid no Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e vinculado à Rede Ebserh (Humap-UFMS/Ebseh). São 10 leitos de terapia intensiva destinados ao atendimento dos pacientes com coronavírus. A iniciativa visa desafogar a atual demanda do Hospital Regional de MS, unidade hospitalar de referência da doença no estado.

Os leitos montados no Humap-UFMS são compostos pelos monitores multiparamétricos que foram enviados pelos municípios do interior para utilização em unidades hospitalares da capital, como ventiladores pulmonares e outros equipamentos. Para isso, houve a cooperação entre Humap-UFMS/Ebserh, Secretaria de Estado de Saúde (SES-MS) e Prefeitura Municipal, para a disponibilização desses equipamentos, além de R$ 6,4 milhões emergenciais investidos pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) na aquisição de exaustores, materiais como medicamentos, insumos, equipamentos de proteção individual (EPIs), de kits de testagem de contaminação para os funcionários e outros itens necessários para o dia a dia da assistência na unidade.

A Ebserh disponibilizou ainda 79 vagas para contratação de profissionais temporários por meio de processo seletivo emergencial para o enfrentamento à pandemia, tendo sido contratados, até agora, 45 profissionais. Houve também o reforço na capacitação das novas equipes e de colaboradores que já atuavam na unidade. Nos últimos meses, foram capacitados 1.195 participantes, divididos em 85 alunos do internato do curso de medicina da UFMS, 242 alunos dos Programas de Residência em Saúde da UFMS e 868 profissionais do Humap-UFMS/Ebserh. São profissionais como médicos, enfermeiros e técnicos – reforçando procedimentos assistenciais seguros –, equipes de apoio – como limpeza, lavanderia, refeitório e outros –, residentes, dentre outros.

O superintendente do Humap-UFMS/Ebserh, Cláudio César da Silva, falou sobre a importância do atendimento à saúde da população no atual cenário. “Quando perdemos um ente querido que está recebendo toda a atenção, sentimos uma dor terrível, mas nos conformamos porque houve assistência, uma vez que tudo foi oferecido para salvar e curar a pessoa. Quando essa pessoa não tem essa chance, além da tristeza, é muito difícil aceitar. Então, nosso papel é oferecer atendimento e, nesse sentido, esses dez leitos significam muito no intuito de salvar vidas”, disse.

Para marcar a iniciativa, foi realizado um evento com poucos participantes presenciais e transmitido via rede social, para preservar a segurança. Além do superintendente do Humap, esse evento contou com a presença do secretário de estado de saúde, Geraldo Resende, o secretário municipal de saúde, José Mauro Pinto de Castro Filho, o presidente da Santa Casa, Heber Xavier, a diretora-presidente do HRMS, Rosana Leite, e os gerentes do Humap-UFMS. Na ocasião também foi assinado o termo de cessão de uso de bens móveis entre Humap-UFMS/Ebserh e SES-MS).

Atuação da Rede Ebserh

Além do apoio ao ensino, formação e capacitação das equipes assistenciais, a Rede Ebserh implementou o Comitê de Operações Especiais (COE) para definir estratégias e ações em nível nacional para o enfrentamento da pandemia. Desde os primeiros anúncios sobre a Covid-19, a Rede Ebserh tem trabalhado em parceria direta com os ministérios da Saúde e da Educação, com participação nos COEs desses órgãos, e tendo como diretrizes o monitoramento da situação no país e em suas 40 unidades hospitalares.

Tem atuado na realização de treinamento de funcionários da Rede, promoção de webaulas, definição de fluxos e instituição de câmaras técnicas de discussões com especialistas. Promoveu processos seletivos emergenciais com a possibilidade de contratação de aproximadamente 6 mil profissionais temporários para o enfrentamento da pandemia

Também disponibilizou R$ 274 milhões para ações contra o coronavírus, recursos do Ministério da Educação (MEC) liberados pela Ebserh de acordo com a necessidade e urgência de cada unidade hospitalar. A verba está sendo utilizada em adequação da infraestrutura, aquisição e manutenção de equipamentos, compra de medicamentos e outros insumos, além de equipamentos de proteção individual.

Em algumas regiões, as unidades da Rede Ebserh têm atuado como hospitais de referência ao enfrentamento do Covid-19, enquanto que em outras, atuam como retaguarda em atendimentos assistenciais para a população, por meio do Sistema Único de Saúde.

Com informações do Humap-UFMS/Ebserh