Solicitar o serviço de acolhimento

Solicitar o serviço de acolhimento
Avaliação: Sem Avaliação
Avaliação

O número antes das estrelas é a nota dada pelos usuários que utilizaram o serviço e vai de 1 a 5.
Depois das estrelas, entre parênteses, é a quantidade de usuários que avaliaram o serviço.
Os números são atualizados diariamente.

  • O que é?

    Nesse primeiro contato, através de uma entrevista, identifica-se quais são as limitações de acessibilidade, quais recursos e serviços são utilizados pela pessoa atendida e outras informações relevantes. Com esses dados, o SEACE oferece e/ou media, dentro das possibilidades, recursos e serviços para atendimento da demanda. No caso de aluno, simultaneamente, notifica-se o curso em que o aluno está matriculado, bem como os demais envolvidos.

  • Quem pode utilizar este serviço?

    Alunos e servidores da UFTM com deficiência/ NEEs.

  • Etapas para a realização deste serviço
    1. Solicitar Acolhimento.

      No caso de discente, se ele declarar no ato da matrícula a deficiência ou Necessidade Educacional Especial – NEE, o Departamento de Registro e Controle Acadêmico - DRCA ou a Secretaria do CEFORES comunica a declaração ao Setor de Acessibilidade - SEACE. Em caso de demanda espontânea o discente contata diretamente o SEACE. No caso de servidor, ele, ou por intermédio de uma unidade da UFTM, contata o SEACE.

      Documentação

      Documentação em comum para todos os casos
      • Formulário de acolhimento e laudo de especialista.

      Canais de prestação

        E-mail : 

      Online (SEI e e-mail) e presencial (quando terminar a pandemia do covid-19).

      Tempo de duração da etapa

      Não estimado ainda
    2. Ter sua demanda atendida.

      O SEACE recebe a demanda, contata o discente para agendamento do acolhimento. Posteriormente, por meio de uma entrevista, realiza o Acolhimento e registra a atividade nos formulários eletrônicos próprios. O SEACE oferece e/ou media, dentro das possibilidades, recursos e serviços para atendimento da demanda. No caso de discente, comunica-se via SEI, no semestre de ingresso ou quando necessário, a Coordenação do Curso e outros envolvidos informando a demanda e realiza os encaminhamentos.

      Documentação

      Documentação em comum para todos os casos
      • Complemento de documentação/laudos de especialistas, solicitadas pelo setor, se necessário.

      Canais de prestação

        E-mail : 

      Online (SEI, e-mail e videoconferência) e presencial (quando terminar a pandemia do covid-19).

      Tempo de duração da etapa

      Não estimado ainda
  • Outras Informações
    Quanto tempo leva?
    Em média 5 dia(s) útil(eis) é o tempo estimado para a prestação deste serviço.

    Informações adicionais ao tempo estimado

    O tempo também é determinado de acordo com a disponibilidade e interesse do aluno.


    Este serviço é gratuito para o cidadão.

    Este é um serviço do(a) Universidade Federal do Triângulo Mineiro . Em caso de dúvidas, reclamações ou sugestões favor contactá-lo.

    Legislação
    • https://www.lexml.gov.br/urn/urn:lex:br:federal:decreto:1999-12-20;3298

      https://www.lexml.gov.br/urn/urn:lex:br:federal:decreto:2004-12-02;5296

      https://www.lexml.gov.br/urn/urn:lex:br:federal:decreto:2011-11-17;7611

      https://www.lexml.gov.br/urn/urn:lex:br:federal:lei:2015-07-06;13146

      https://www.lexml.gov.br/urn/urn:lex:br:federal:decreto:2010-07-19;7234

       


    Tratamento a ser dispensado ao usuário no atendimento

    O usuário deverá receber, conforme os princípios expressos na lei nº 13.460/17, um atendimento pautado nas seguintes diretrizes:

    • Urbanidade;
    • Respeito;
    • Acessibilidade;
    • Cortesia;
    • Presunção da boa-fé do usuário;
    • Igualdade;
    • Eficiência;
    • Segurança; e
    • Ética

    Informações sobre as condições de acessibilidade, sinalização, limpeza e conforto dos locais de atendimento

    O usuário do serviço público, conforme estabelecido pela lei nº13.460/17, tem direito a atendimento presencial, quando necessário, em instalações salubres, seguras, sinalizadas, acessíveis e adequadas ao serviço e ao atendimento.


    Informação sobre quem tem direito a tratamento prioritário

    Tem direito a atendimento prioritário as pessoas com deficiência, os idosos com idade igual ou superior a 60 anos, as gestantes, as lactantes, as pessoas com crianças de colo e os obesos, conforme estabelecido pela lei 10.048, de 8 de novembro de 2000.


Esta página foi útil para você?
Sim (1) Não (0)