Notícias

Defesa

Mancha de fogo na região amazônica já diminuiu com Operação Verde Brasil

publicado: 28/08/2019 22h51, última modificação: 30/08/2019 15h33
“A gente já percebe que, onde nós iniciamos, a mancha de fogo diminuiu, e isso é um indicativo", disse o presidente do Ibama
Mancha de fogo na região amazônica já diminuiu com Operação Verde Brasil

Foto: 17ª Batalhão de Infantaria de Selva

Os focos de incêndio já estão diminuindo pelos parâmetros do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), um satélite óptico que faz o monitoramento das queimadas na região amazônica.

“O principal foco hoje é o combate ao incêndio. Os crimes, eles são operações muito mais elaboradas, são operações de inteligência, e tem que ter um certo grau de sigilo. Esse combate aos crimes a gente vai trabalhando ao longo do tempo”, disse o Vice-Almirante, Ralph Dias da Silveira Costa, responsável pelos níveis tático e operacional das ações na Amazônia Legal.

O chefe do PrevFogo do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Gabriel Zacarias, disse que a simples presença de brigadistas na região amazônica mudou o comportamento.

“A gente já percebe que, onde nós iniciamos, a mancha de fogo diminuiu, e isso é um indicativo. Numericamente a gente precisa de um período maior pra ter uma segurança pra ambos transmitir essa informação, mas a presença de todas as agências envolvidas fez com que a variação fosse basicamente pra baixo depois do início da operação”.

Um exemplo está em Rondônia, onde as operações se iniciaram no último sábado (24). Segundo Marcos José Pereira, diretor de Ações Socioambientais e Consolidação Territorial em Unidades de Conservação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), houve uma variação para baixo de picos de incêndio no estado.

“Nós tivemos na região, naquela região específica, uma variação de pontos. Tivemos alguns picos, por exemplo, dia 23 em torno de 400 pontos de calor e depois das ações efetivadas ontem, tá certo que a gente ainda tem alguns fatores de questão meteorológica que favoreceram, isso daí caiu para em torno de 20, 30 pontos de calor”.

Ajuda Externa

O Chile vai enviar três aeronaves, equipes especializadas e um helicóptero do exército chileno; o Equador três brigadas com 30 especialistas em combate a incêndios florestais; os Estados Unidos vão enviar duas aeronaves também para combater queimadas e uma aeronave para transporte de até 70 pessoas; e Israel 100 m³ de agente químico retardante de chamas.