Notícias

800 Dias

Apoio logístico em meio à crise

Publicado em 11/03/2021 08h57
Apoio logístico em meio à crise

As Forças Armadas estão, desde o início da Operação Covid-19, dedicando todos os esforços no apoio à população brasileira, no enfrentamento à doença e, a partir deste momento, estão concentrando as ações na vacinação dos brasileiros.

Confira o detalhamento de algumas ações:

FAB transporta insumos e oxigênio para Manaus (AM)

No dia 15 de janeiro, duas aeronaves KC-390 Millennium fizeram missões de apoio à Operação Covid-19. A primeira decolou de Recife (PE) para Manaus (AM), transportando 8,5 toneladas de material hospitalar, camas, tendas, geradores e barracas. A segunda decolou da Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro (RJ), com 11 toneladas de insumos hospitalares e um gerador. Após o carregamento, seguiu para Manaus (AM), onde pousou durante a tarde do mesmo dia.

Ainda na noite do dia 15 de janeiro, o KC-390 seguiu de Manaus para Guarulhos (SP), onde fez o carregamento de mais tanques de oxigênio líquido.

No mesmo dia, uma aeronave C-130 Hércules, operada pelo Esquadrão Gordo (1º/1º GT), decolou da Base Aérea de São Paulo (BASP), em Guarulhos (SP), também com destino a Manaus, com seis tanques de oxigênio líquido.

As aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) estão em contínuo apoio à sociedade brasileira com transporte aéreo logístico, estando à disposição do Ministério da Defesa, e intensificaram as missões relacionadas à crise de saúde encontrada na capital amazonense em função do coronavírus.

A soma das missões de transporte de tanques de oxigênio, nos dias 14 e 15 de janeiro, totalizaram 18 tanques, o que significa, aproximadamente, 1.400 cilindros de oxigênio (7m³). Todos os equipamentos e insumos se destinam a hospitais para o combate ao novo coronavírus em Manaus.

Força Aérea transporta pacientes de Manaus (AM) para outras capitais

A FAB iniciou, no dia 15 de janeiro, o transporte de pacientes, acompanhados de equipes de saúde, de Manaus (AM) para outros estados do país. Duas aeronaves C-99, acionadas pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), cumpriram as missões que tiveram como objetivo minimizar os impactos no sistema de saúde da capital amazonense.

O Transporte Aéreo Logístico da FAB integra as ações da Operação Covid-19, acionada pelo Ministério da Defesa, em atendimento às demandas do Ministério da Saúde.

O planejamento foi de voos partindo de Manaus (AM) com destino a São Luís (MA), Teresina (PI), Natal (RN), João Pessoa (PB), Brasília (DF) e Goiânia (GO), transportando pacientes e profissionais de saúde.

Unidade da Força Aérea se torna hub para fornecimento de oxigênio para Manaus

Desde o dia 17 de janeiro de 2021, a Força Aérea Brasileira (FAB) vem promovendo o transporte dos tanques de oxigênio líquido a partir da Ala 1, em Brasília (DF), trazendo, dessa forma, maior agilidade no cumprimento das missões, com menor tempo de resposta e aumento da capacidade de transporte dos tanques nas aeronaves. Para tanto, a White Martins, empresa que abastece de oxigênio a cidade de Manaus (AM), neste momento de crise, transferiu o hub, ou seja, o centro de distribuição dos tanques de oxigênio líquido de Guarulhos (SP) para a capital federal.

Com a mudança, a FAB pode otimizar o transporte, aumentando também a carga. O primeiro voo de Brasília decolou no dia 17 de janeiro, às 18h55, com dez tanques de oxigênio líquido, totalizando 13,5 toneladas. O pouso em Manaus ocorreu às 23h30, de acordo com o horário de Brasília.

O novo hub será um centro de distribuição em Brasília (DF) ou ponto de referência, para que as aeronaves façam o carregamento e descarregamento dos tanques de oxigênio líquido, a fim de abastecer os hospitais da capital amazonense que sofrem com a falta do insumo para tratar pacientes com o novo coronavírus.

Por conta da crescente demanda e da localização geográfica da capital do Brasil em relação a todos os estados, a Força Aérea passa a atender com maior rapidez aos deslocamentos. O reabastecimento dos tanques de oxigênio, feito pela empresa White Martins, também passou a ser feito no Terminal de Carga de Brasília, na Ala 1, onde uma estrutura foi adaptada para as novas demandas, bem como a atuação do efetivo da unidade militar.

O Comando da Aeronáutica está dedicando permanentemente o esforço do efetivo e das aeronaves 24 horas por dia e sete dias por semana em atendimento às necessidades da sociedade brasileira no enfrentamento à doença.

Desde que foram intensificadas as missões de Transporte Aéreo Logístico para Manaus, a FAB atingiu a marca de mais de 200 horas voadas e mais de 180 toneladas transportadas. Estão em constante operação as aeronaves KC-390 Millennium, C-130 Hércules e C-105 Amazonas, que fazem o transporte de insumos, tanques de oxigênio líquido e de cilindros de oxigênio, além do C-99, responsável pelo transporte de pacientes, acompanhados de equipes de saúde, de Manaus (AM) para outros estados do país.

Força Aérea Brasileira transporta usinas de oxigênio para Parintins (AM)

Aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) transportaram duas usinas geradoras de oxigênio para a cidade de Parintins, no Amazonas. A primeira foi levada no dia 16 de janeiro, em um C-130 Hércules; já a segunda foi transportada no dia 17 de fevereiro, em um KC-390 Millennium, que decolou de Guarulhos (SP) para Parintins (AM).

Um C-105 Amazonas também levou cilindros de oxigênio para a cidade de Parintins (AM) no dia 17 de fevereiro. As ações refletem o esforço das Forças Armadas no combate à crise, por meio da Operação Covid-19, de viabilizar a assistência de saúde a moradores de regiões de difícil acesso.

No dia 19 de fevereiro, as aeronaves da FAB atingiram, aproximadamente, duas mil horas de voo em apoio à população da região Norte do país durante as ações que ocorrem desde o dia 8 de janeiro de 2021.

As missões para atender ao sistema de saúde da região Norte, sob coordenação do Ministério da Defesa, envolvem os aviões KC-390 Millennium, C-130 Hércules, C-105 Amazonas e C-99 da FAB, entre outras, na Operação Covid-19. O transporte de cilindros e tanques de oxigênio líquido, além da remoção de pacientes para diversas cidades brasileiras, permanece ativo.

Ao longo deste período, a FAB promoveu diversos voos com destino aos estados de Rondônia, Roraima e Amazonas, tendo o objetivo de suprir as demandas hospitalares de cada local. Com isso, já foram transportadas cerca de 2.600 toneladas de cargas. Houve, ainda, a necessidade do transporte de 725 pacientes em razão da lotação dos hospitais.

FAB ultrapassou, no início de fevereiro, 1.000 horas de voo em missões de apoio à região Norte

A FAB, que atua desde o dia 8 de janeiro no transporte de pacientes, bem como de tanques de oxigênio líquido, cilindros de oxigênio e equipamentos para o combate ao novo coronavírus na região Norte, somou, no dia 1º de fevereiro, 1.067 horas voadas em proveito da Operação Covid-19. O emprego das aeronaves tem a missão de salvar vidas por meio, entre outras ações, da distribuição de insumos para o sistema de saúde, reduzindo, assim, os impactos da doença.

Diversas aeronaves da FAB são empregadas nas missões, como o KC-390 Millennium, C-130 Hércules, C-105 Amazonas, C-99 e outras. No primeiro dia de fevereiro, um KC-390 decolou da Ala 9, em Belém (PA), às 16h15 (horário de Brasília), para a Ala 8, em Manaus (AM), transportando um isocontêiner, contendo 6.047 m³ de oxigênio líquido, pesando aproximadamente 17 toneladas.

No domingo, 31 de janeiro, um C-130 decolou da Ala 1, em Brasília (DF), com nove tanques de oxigênio líquido para Manaus (AM). Um KC-390 Millennium, que carregou em Brasília oito tanques de oxigênio, pesando 12.785 quilos de carga, também cumpriu missão com destino a Manaus.

No sábado, dia 30 de janeiro, um C-99 decolou às 21h21 da Ala 8, em Manaus (AM), transportando 11 pacientes com destino à Base Aérea de Florianópolis (BAFL), onde pousou às 2h41 de domingo (31). 

No período em que os esforços da Força Aérea concentram-se para auxiliar a região Norte, foram feitos mais de 100 voos e, ainda, transportadas cerca de 1.100 toneladas de carga. Essa ação já removeu, do Amazonas (AM), de Rondônia (RO) e de Roraima (RR), 457 pacientes para as cidades de Teresina (PI), São Luís (MA), João Pessoa (PB), Natal (RN), Goiânia (GO), Brasília (DF), Belém (PA), Vitória (ES), Maceió (AL), Recife (PE), Uberaba (MG), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), São Paulo (SP), Palmas (TO) e Florianópolis (SC).

FAB transporta vacinas para diversas cidades brasileiras

A FAB empregou, no dia 18 de janeiro de 2021, diversas aeronaves para o transporte de imunizantes de uso emergencial para o enfrentamento à Covid-19. Em coordenação com o Ministério da Defesa e em apoio ao Ministério da Saúde, a FAB promoveu o transporte das vacinas para 12 cidades brasileiras.

No primeiro dia de distribuição de imunizantes, um KC-390 Millennium entregou vacinas nos estados do Goiás, Piauí e Ceará. Com um carregamento total de 199 caixas de vacinas, o avião decolou às 10h10 (horário local) da Base Aérea de São Paulo (BASP), em Guarulhos (SP), carregando 77 caixas para Goiânia (GO), 26 para Teresina (PI) e 96 para Fortaleza (CE). A aeronave pousou na capital cearense às 17h50 (horário de Brasília).

Já uma aeronave C-130 Hercules decolou, às 12h55, da Base Aérea de São Paulo, levando 45 caixas de vacinas para Brasília (DF) e 108 caixas para Manaus (AM). Após o descarregamento na capital federal, o C-130 Hércules decolou, às 15h50 (horário local), de Brasília para Manaus (AM), onde pousou às 19h50 (horário de Brasília). Os destinos seguintes foram Boa Vista (RR), Rio Branco (AC) e Porto Velho (RO).

Transportando vacinas para os estados de Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, uma aeronave C-105 Amazonas decolou da Base Aérea de São Paulo às 10h (horário de Brasília), chegando a Florianópolis (SC), às 11h30. Em seguida, o C-105 Amazonas decolou, às 13h20, da Base Aérea de Florianópolis com destino a Campo Grande (MS), onde chegou às 15h30.

Somente neste início da operação, a FAB transportou 44 toneladas de vacinas. As Forças Armadas estão, desde o início da Operação Covid-19, dedicando todos os esforços no apoio à população brasileira, no enfrentamento à doença e, a partir deste momento, estão concentrando as ações na vacinação dos brasileiros.