Dicas de como #NavegarNumaBoa

Publicado em 09/11/2020 16h19 Atualizado em 09/11/2020 16h45

DICAS PARA OS PAIS

1. Postergue ao máximo a idade de entrega de um smartphone para seu filho.

Celulares não são brinquedos. Lembre-se: Quanto mais tarde melhor e, quando isso vier a ocorrer, defina conjuntamente as regras de utilização. Uma dica importante: aborde o assunto de maneira respeitosa, estabeleça acordos com seus filhos, deixe que eles se sintam parte do processo. Ao agir assim, as chances de colaboração tendem a aumentar.

2. Defina uma agenda pessoal diária de atividades para as crianças.

Essa agenda deve conter horários de estudo, de realização de atividades físicas, de lazer, de alimentação e de sono. Contribuição em atividades domésticas, de acordo com a idade, também são bem-vindas!

3. Não autorize que seu filho tenha o aparelho celular 24 horas à disposição.

Defina dias, horários e quantidades de tempo em que podem jogar ou assistir filmes. Pode-se estabelecer regras como a que o celular deve ser carregado no quarto dos pais ou na sala. Os limites são importantíssimos para a formação integral das crianças e adolescentes.

4. Cuidado com o celular em sala de aula.

O celular em sala de aula pode prejudicar o processo de aprendizagem. O ideal é que não levem o aparelho para a escola, para que lá possam focar nos estudos. Caso seja realmente necessário, discuta as regras de utilização.

5. Nada de celular nas refeições.

Nas refeições, desencoraje o uso das telas. Lembre-se: quanto maior for a interação da família à mesa, mais protegida ela estará das consequências negativas do uso excessivo dos aparelhos tecnológicos. E, nesse sentido, os pais devem dar o exemplo.

6. Evite que as crianças e adolescentes utilizem o celular sozinhos no quarto.

Analise se os filmes ou jogos são adequados para a idade de seus filhos. Sente-se com eles para ver o que estão fazendo e não deixe de conversar sobre segurança na internet. Os pais precisam estar sempre por perto para ajudar em qualquer situação.

7. Senhas são compartilhadas.

Estabeleça esse acordo desde o início. É preciso ter acesso a todas as mídias sociais dos filhos. Isso não significa que você deva sufocá-los o tempo inteiro, a confiança mútua faz parte do processo. Mas é preciso acessar periodicamente e acompanhar o que está acontecendo na vida digital.

8. Ensine a ser responsável com seu aparelho.

Permita que os filhos aprendam desde o início o senso de responsabilidade com seus pertences. Em caso de quebra, estimule-os a ter alguma noção de valores do conserto e, além disso, estabeleça um prazo razoável para consertá-lo. Não é necessário urgência. Se o celular foi perdido, deixe-os sem o aparelho até que desenvolvam responsabilidade para tê-lo novamente. Use todas as situações para educá-los.

9. Estabeleça dias sem tecnologia.

Estabeleça acordos e regras sobre horários em que o telefone deve estar desligado como, por exemplo, ao longo da noite. É importante ter um dia da semana combinado sem as telas digitais, para ensiná-los a lidar com a ansiedade. Pode ser também um dia extra para incentivo à leitura.

10. Defina, em família, dias sem tecnologia.

Defina um dia da semana em que não haverá uso de celular e faça atividades em família como passeios, filmes, brincadeiras, jogos de tabuleiro, práticas esportivas, dentre outros. Olhe nos olhos dos seus filhos quando se dirigir a eles, converse sobre sua semana e pergunte como foi a semana deles. Estimule o diálogo e a confiança.

11. Cuidado com acesso irrestrito a plataforma de filmes.

A exposição a vídeos por muito tempo pode gerar tédio, além de atrapalhar outras atividades. Vale ressaltar que o costume de ter sempre o próximo capítulo à disposição nas séries de TV, pode agravar a ansiedade dos jovens. Estimule a paciência.

12. Fale sobre regras de educação e etiqueta ao usar a internet.

Ensine boas maneiras nos aplicativos de mensagens, além de ter um limite de horários para mandar e ler os textos, é preciso ser educado também na internet. Oriente-os a não manusear o telefone quando estiver na presença de visitas ou, na hora dos diálogos, pausar o uso do telefone.

13. Seja firme! Regras são para serem cumpridas.

Regras devem ser cumpridas e respeitadas. Deixe claro quais punições estão envolvidas nos descumprimentos das regras, como por exemplo, dias sem a tecnologia quando os combinados não forem seguidos. Os acordos valem também para os pais. Permita que os filhos participem da definição dos combinados que podem inclusive serem firmados por escrito, como senso de responsabilidade.

14. Estimule a leitura e leia muitas histórias para seus filhos.

Estimule desde cedo a leitura. Leia histórias para seus filhos, pergunte, faça brincadeiras, torne esse momento divertido em família.

15. Converse sobre a internet.

Da mesma forma como perguntamos “como foi o dia na escola”, pergunte para seu filho como foi o dia na internet. Quem são seus novos amigos? De onde são? Qual o assunto que estão conversando? O que tem feito na vida digital? Trate os temas “celular” e “internet” como um assunto leve junto a família. Navegue com seu filho em algumas oportunidades, brinque e jogue com eles.

 

Reportar erro