Notícias

NOVEMBRO AZUL

Ministério da Saúde e Inca orientam homens sobre prevenção ao câncer de próstata

O Instituto Nacional do Câncer estima o surgimento de cerca de 68 mil novos casos no Brasil em 2019
publicado 04/11/2019 21h00, última modificação 05/11/2019 12h02
Ministério da Saúde e Inca orientam homens sobre prevenção ao câncer de próstata

Oncologista Nilson de Castro Correia do Hospital da Universidade de Brasília - Foto: EBC

Durante o mês de novembro, a campanha Novembro Azul reforça a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata. A doença é o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens brasileiros, e o número de vítimas é maior a partir dos 50 anos de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca).

O Inca estima o surgimento de cerca de 68 mil novos casos de câncer de próstata no Brasil em 2019. Fazer exames frequentes para diagnosticar precocemente casos da doença é o principal meio de combater a doença, como explicou o médico oncologista Nilson de Castro Correia, do Hospital da Universidade de Brasília (HUB).

“É um tumor altamente curável quando diagnosticado na fase inicial. É importante procurar um médico e fazer o exame mesmo que não esteja sentindo nada. É que o tumor na fase inicial é assintomático, é muito pequeno, tem um crescimento muito lento. Então, se você dá o diagnóstico na fase bem inicial facilita muito o tratamento e aumenta muito a chance de cura”, disse o oncologista.

O Novembro Azul é um movimento mundial que teve origem em 2003 na Austrália. No Brasil, o Ministério da Saúde e o Inca divulgam informações sobre a prevenção e tratamento da doença ao longo do mês. O Inca lançou a cartilha “Câncer de próstata: vamos falar sobre isso?” com orientações e dados sobre a doença. O Ministério tem uma página com informações sobre este tipo de câncer. Confira no link  

Bombeiro hidráulico, Evangelista PereiraO bombeiro hidráulico Evangelista Pereira dos Santos é um exemplo de quem diagnosticou a doença logo no início. Ele conta que sempre cuidou da saúde e se preocupou com a prevenção do câncer de próstata. Em um exame de sangue veio a surpresa. O médico percebeu alterações que poderiam indicar a presença da doença. Evangelista foi encaminhado para mais exames e o diagnóstico se confirmou. Agora ele faz tratamento no HUB.

“Pelo que sei e tenho visto pela TV, se a pessoa cuidar cedo, tem mais chance. Meu conselho é que os homens procurem um médico especialista e façam os exames necessários, senão mais tarde é pior”, afirmou.

Fatores de risco

Um dos fatores de risco apontados pelo Inca é o avanço da idade. No Brasil, nove a cada dez homens diagnosticados têm mais de 55 anos. Outro é o histórico familiar. Homens cujo o pai, avô ou irmão tiveram câncer de próstata antes dos 60 anos, fazem parte do grupo de risco. O sobrepeso e a obesidade também podem contribuir para desenvolver a doença.

Sintomas

Entre os sintomas mais comuns que devem acender o sinal de alerta, estão a dificuldade e a demora em começar e terminar de urinar, a presença de sangue na urina, diminuição do jato e a necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.

Prevenção, diagnóstico e tratamento

Ter uma alimentação saudável, praticar atividade física, não fumar nem consumir bebida alcoólicas são algumas das recomendações do Inca para a prevenção. Os dois exames iniciais feitos para investigar sinais da doença são o de sangue chamado de PSA e o toque retal.

Já o tratamento do câncer de próstata pode ser feito por meio de diferentes terapias,. “O tratamento na fase inicial tem várias possibilidades terapêuticas, a mais comum é a cirurgia, existe outra possibilidade que é a radioterapia de próstata”, explicou o dr. Nilson Correa.

Todas as modalidades de tratamento são oferecidas, de forma integral e gratuita, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).