Notícias

#Manchanolitoral

Fábricas de cimento recebem os resíduos de óleo

Há 16 dias não são encontradas manchas de óleo no mar
Publicado em 25/11/2019 22h00 Atualizado em 25/11/2019 22h14
Fábricas de cimento recebem os resíduos de óleo

- Foto: GAA

O Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA), formado pela Marinha do Brasil (MB), Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), informa que fábricas de cimento de Sergipe, Ceará, Bahia e Rio Grande do Norte estão recebendo os resíduos de óleo recolhidos nas regiões atingidas, colaborando com as ações para destinação final do material oleoso. 

Os estados de AL, BA, CE, PB, PE, PI, RN e SE estão com a destinação final dos resíduos oleosos direcionada a fábricas de cimento ou aterro industrial, ambientalmente adequados. No primeiro momento, os resíduos oleosos recolhidos vêm sendo acondicionados em recipientes apropriados, evitando a contaminação do solo e subsolo. 

Atualmente, estão com as praias limpas os estados do RJ, ES, PI, CE, RN, PB e SE. As seguintes localidades permanecem com vestígios de óleo, com ações de limpeza em andamento: Araioses, no Maranhão; Barreiros, em Pernambuco; Japaratinga, Barra de São Miguel, Feliz Deserto, Maragogi e Roteiro, em Alagoas; Cairu, na Bahia. 

Desde o início da primeira ocorrência de óleo, 772 localidades foram atingidas, em algum momento. Há 16 dias não são encontradas manchas de óleo no mar e, na última semana, 99% das ocorrências correspondem a vestígios de óleo nas praias atingidas.

Qualidade da Água

O GAA, em reunião com o Centro de Operações de Emergência (COE), do Ministério da Saúde, tem trabalhado na articulação para viabilizar análises da qualidade da água salina aos estados afetados por manchas de óleo ainda sem origem conhecida, com apoio dos laboratórios da rede do Ministério da Saúde. Os estados que não possuem logística e condições de realizar tais análises deverão entrar em contato por meio do endereço eletrônico.

Foram elencados como prioritários para análise da qualidade da água os parâmetros Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPA) e Benzeno, Tolueno, Etilbenzeno e Xileno (BTEX). A análise desses parâmetros deverá ocorrer com base na Resolução Conama 357/05, especificamente para os valores de referência para padrões de qualidade de águas salinas, conforme Seção III dessa norma. Entende-se que a análise de Hidrocarbonetos Totais de Petróleo (HTP) é desejável para verificação mais completa da qualidade da água, sugere-se a sua realização quando possível.

Para o acompanhamento da situação das praias em cada estado, visite o site dos órgãos ambientais estaduais: