Notícias

Verde Brasil

Operação Verde Brasil aplica cerca de R$ 142 milhões em multas e combate 1.835 focos de incêndio

A operação autorizou o emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem entre os dias 24 de agosto e 24 de setembro
publicado 29/10/2019 18h00, última modificação 30/10/2019 20h54
Operação Verde Brasil aplica cerca de R$ 142 milhões em multas e combate 1.835 focos de incêndio

Balanço da Opertação Verde Brasil no ministério da Defesa, em Brasília - Foto: EBC

A Operação Verde Brasil, para combate a queimadas e delitos ambientais na região da Amazônia, durou dois meses e foi encerrada contabilizando o combate a 1.835 focos de incêndio por vias terrestres e aéreas. No período, foram aplicados 352 termos de infração que resultaram em R$ 141,9 milhões em multas. O balanço de encerramento da operação foi apresentado nesta terça-feira (29) pelo ministro da Defesa, Fernando Azevedo.

A operação, instituída por meio de decreto presidencial, autorizou o emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem [Ambiental] (GLO) entre os dias 24 de agosto e 24 de setembro nas áreas de fronteira, nas terras indígenas, nas unidades federais de conservação ambiental e em outras áreas dos estados da Amazônia Legal. Durante a vigência deste primeiro período de atividades na Amazônia Legal, a GLO foi estendida por mais 30 dias até 24 de outubro, quinta-feira da semana passada.

Segundo o ministro da Defesa, o governo agiu rápido ao detectar aumento no número de queimadas na região da Amazônia Legal e conseguiu resultados expressivos, reduzindo os focos de incêndio. “Foi um esforço coletivo e o resultado nos deixa com um sentimento de cumprimento de missão”, afirmou Azevedo.

Segundo o ministro, o emprego da GLO deve ocorrer em caráter episódico e pontual e agora é preciso que haja uma união de esforços dos diversos níveis de governo para evitar que situação semelhante se repita no próximo ano no período de seca. “Em relação à Operação Verde Brasil, o resultado foi expressivo, mas devemos ter que colher os ensinamentos, não só o governo federal, uma grande responsabilidade é do governo estadual que tem os meios locais. Enfim, tem que ser uma União de todos para que a gente não tome medidas emergenciais igual a essas aqui”, disse o ministro da Defesa.

Militares envolvidos

Operação Verde Brasil MD

Um total de 9.772 militares das Forças Armadas atuaram no combate aos incêndios e ilícitos ambientais. As Forças Armadas empregaram na operação 14 aviões, 467 viaturas, 23 helicópteros e 159 embarcações.

A operação contou com colaboração internacional. De Israel vieram 12 brigadistas; o Chile enviou 4 aeronaves; o Japão contribuiu com a doação de equipamentos; e os Estados Unidos com a atuação de 6 peritos.

Apreensões

Operação Verde Brasil / Foto: MD

Durante os dois meses de atuação da Operação Verde Brasil foram presas 127 pessoas, apreendidos 23 mil metros cúbicos de madeira, 26 mil litros de combustível, 178 embarcações e 112 veículos. Ainda foram destruídos 45 acampamentos e 13 pontes clandestinas.

Histórico

No dia 23 de agosto, o presidente Jair Bolsonaro assinou decreto autorizando o emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem na Amazônia Legal até o dia 24 de setembro. Diante disso, o Ministro da Defesa, Fernando Azevedo, instalou o Centro de Operações Conjuntas no ministério, em Brasília, para execução das ações. No final de setembro, um novo decreto foi editado prorrogando a atuação das Forças Armadas até o dia 24 de outubro. Além da participação de vários ministérios, a Operação Verde Brasil contou com servidores de órgãos como o Ibama, ICMBio, Funai, Abin, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal.