Notícias

Governo Digital

Transformação digital traz economiza de tempo e recursos

Em 2019, foram digitalizados 503 serviços públicos federais, 20% a mais do que a meta para o ano
Publicado em 17/12/2019 09h03 Atualizado em 16/12/2019 21h28
Transformação digital traz economiza de tempo e recursos

Foto EBC

Menos papel. Menos burocracia. Os documentos todos reunidos no toque do celular. O governo está digitalizando o que até então estava só no papel como carteira de trabalho, de trânsito e a identidade estudantil. Até agora 53% dos 3.318 diferentes serviços que o governo oferece à população já são acessados online.

Desse universo, 503 serviços públicos tiveram início, na internet, a partir de janeiro deste ano, superando em 20% a meta da transformação digital de serviços públicos em 2019. 

Os números representam uma economia anual de R$ 1,7 bilhão pelo governo e pela sociedade, de acordo com estimativa do Ministério da Economia. Em relação ao tempo, 146 milhões de horas deixam de ser gastas por ano pelas pessoas para obter serviços do Governo Federal - o equivalente a mais de um dia inteiro de trabalho de toda a população economicamente ativa na grande São Paulo, que reúne mais de 22 milhões de habitantes. 

“Um serviço digital é 97% mais barato que o mesmo serviço entregue num canal presencial. Só no Governo Federal já economizamos, por ano, R$ 345 milhões em mão de obra, em espaço físico, em burocracia. Mas o mais importante é para o cidadão que hoje não precisa mais se descolar, ficar em filas”, disse o secretário de governo digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Salin Monteiro.

Analista de sistemas, Diogo Pessoa. Foto: EBCAntes da digitalização dos serviços era preciso esperar até 17 dias para conseguir a carteira de trabalho e hoje é possível até conseguir o documento no mesmo dia. Já a aposentadoria por tempo de contribuição pode ser obtida em poucas horas.

O analista de sistemas Diogo Pessoa mora em Brasília e já tem a carteira de trânsito digital. Após ter comprovado a comodidade de usar o documento no celular, ele quer aderir a mais serviços digitais. “Se houver um extravio da carteira não vou ter que me locomover até o Detran para pedir uma segunda via. Isso é maravilhoso porque a gente não perde tempo e dinheiro. E tem a comodidade porque hoje a gente anda mais com o celular do que com a própria carteira, então, tem no celular o próprio documento. E em tempos de internet não tem mais porque ficar com tanto papel na mão gerando custos”, avaliou.

Digitalização como prioridade

O secretário Luis Felipe Salin Monteiro disse que a digitalização dos serviços ocorre em um esforço conjunto entre os órgãos do Governo Federal que adotaram o Governo Digital como uma prioridade.

“O Governo Digital é uma prioridade do governo. É a única forma que temos de reduzir o tamanho do Estado, torná-lo mais ágil, mais leve e, ao mesmo tempo, melhorar exponencialmente a qualidade dos serviços que o cidadão recebe”, explicou Luis Felipe.

Segundo ele, a digitalização dos serviços em 2019 começou por aqueles mais usados pela população. “Pegamos primeiro os órgãos que têm os serviços mais relevantes para a população como INSS com serviços previdenciários. Depois serviços trabalhistas como a carteira de trabalho digital, os serviços de trânsito e transporte como carteira de habilitação e segunda via de multas”, apontou.

O Governo Federal oferece quase 3,3 mil diferentes serviços à população - isso inclui toda a administração direta, autarquias e fundações. Neste momento, 53% acessados online podem ser acessados pelo portal gov.br. Para o próximo ano a meta é tornar digital outros 500 serviços e, para 2022, ter 100% dos serviços do Governo Federal transformados em digitais.