Notícias

BIOCOMBUSTÍVEIS

Renovabio: “o maior programa de biocombustíveis do mundo”, afirma ministro

publicado: 26/09/2019 20h13, última modificação: 26/09/2019 20h13
Política do governo de incentivo aos biocombustíveis tem como objetivo expandir a produção apostando na sustentabilidade ambiental, econômica e social
Renovabio abastecimento

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Ampliar o uso de combustíveis renováveis, como etanol e biodiesel, que emitem menos gases causadores do efeito estufa é o objetivo do Renovabio, política do governo de incentivo aos biocombustíveis. A iniciativa do Ministério de Minas e Energia visa expandir a produção desse tipo de energia, apostando na sustentabilidade ambiental, econômica e social. 

Na ultima sexta-feira (20), o presidente da República, Jair Bolsonaro, comemorou, em suas redes sociais, os efeitos prático do Renovabio. “A Toyota do Brasil investirá R$ 1 bilhão em sua planta de Sorocaba/SP, graças ao programa de valorização dos biocombustíveis do Governo Federal, o RENOVABIO. - Em São Paulo serão produzidos os veículos híbrido-flex (etanol/eletricidade).” 

Segundo o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, o programa tem contribuído para reduzir a emissão de gás carbônico. “Hoje temos o Renovabio, considerado o maior programa de biocombustíveis do mundo, que contribui muito para a descarbonização não só do Brasil, mas do planeta como um todo, com elevados investimentos e resultados bastante positivos.” 

Um dos focos do Renovabio é aumentar a mistura de biocombustíveis (biodiesel) no diesel, usado em caminhões e ônibus, por exemplo. A partir deste mês, o percentual obrigatório de biodiesel no diesel brasileiro subiu de 10% para 11%.  

O incentivo aos biocombustíveis beneficia não apenas o meio ambiente, mas  também reduz a dependência do Brasil em relação aos derivados de petróleo, como explica a superintendente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Ângela Costa.  

“O Brasil é autossuficiente em petróleo, nos tornamos exportadores já há alguns anos, porém não somos em derivados de petróleo, ainda temos a necessidade de importar. Os biocombustíveis então contribuem pra redução de emissão de gases, para a geração de empregos no Brasil e também para melhoria da balança comercial. Eles têm esse importante papel também da segurança no abastecimento”, explicou.

Vantagens

O Renovabio já gera efeitos na cadeia de produção energética brasileira. Segundo a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), em 2019, a demanda por etanol cresceu quase três bilhões de litros. E, com o aumento da mistura no diesel, a demanda deve crescer ainda mais, com expectativa de acréscimo em 200 milhões de litros. Até 2030, os investimentos no setor devem totalizar R$1,4 trilhão. 

Os biocombustíveis também estimulam a competição na oferta de combustíveis, o que reduz os preços para o consumidor. Outro benefício é que esse tipo de combustível contribui para a geração de energia elétrica a partir de biomassa. Em 2018, a energia elétrica oriunda dessa fonte correspondeu a 27% da geração de Itaipu e totalizou 26.441 gigawatt-hora (GWh), energia suficiente para atender a demanda de uma cidade de um milhão de habitantes por 10 anos.