Notícias

Ações 2019

Gestão pública: eficiência e uso correto do dinheiro público

Saiba as principais ações para melhorar a administração pública
Publicado em 19/12/2019 12h14 Atualizado em 19/12/2019 21h59

O Governo Federal disponibilizou 503 novos serviços com acesso online desde janeiro. O resultado é uma economia anual de R$ 1,7 bilhão para os cofres públicos. Estima-se que 146,8 milhões de horas deixem de ser gastas pelas pessoas para obter serviços do governo federal a cada ano. De acordo com o Ministério da Economia, só os serviços transformados este ano representam 19 milhões de demandas anuais.

Outros grandes destaques do ano foram os trabalhos de combate à corrupção, que visam não somente à prevenção de atos corruptos, mas também à recuperação do País, que tanto sofreu com o uso de verbas públicas para fins indevidos.

Confira as principais medidas nesse sentido:

Fraudes no INSS

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) deu continuidade ao trabalho de pente-fino nos benefícios com indícios de fraude e irregularidades. Até dezembro, foram cancelados ou suspensos 261 mil benefícios em todo País. De acordo com o INSS, a economia mensal estimada é de R$ 336 milhões e a anual de R$ 4,3 bilhões. Do total dos benefícios cancelados e suspensos, 59% consistiam no chamado pagamento pós-óbito, em que pessoas próximas do falecido continuavam a sacar a aposentadoria de forma irregular.

Saiba mais sobre as ações

Acordos de leniência

Cinco acordos de leniência foram celebrados junto a empresas envolvidas em esquemas de corrupção. Essas companhias comprometeram-se a pagar R$ 7,5 bilhões aos cofres públicos e entidades públicas prejudicadas pelos atos ilícitos. De acordo com a Controladoria-Geral da União, ao todo, 11 acordos assinados já garantiram o retorno de R$ 3,11 bilhões. Só este ano, foram R$ 1,5 bilhão restituídos. Além disso, a Advocacia-Geral da União criou equipes especializadas para atuar exclusivamente em ações de combate à corrupção.

Saiba mais sobre os acordos

Operação Lava Jato

Um acordo homologado pelo Supremo Tribunal Federal estabeleceu que valores da ordem de R$ 2,6 bilhões recuperados pela Operação Lava Jato devem ser aplicados em políticas públicas. Do total, R$ 1,6 bilhão agora fazem parte do orçamento da educação e o R$ 1 bilhão restante teve seu uso determinado para o combate ao desmatamento e incêndios na Amazônia.

Saiba mais sobre o dinheiro recuperado

Improbidade

O Governo Federal estima que, até o final do ano, 158 ações de improbidade administrativa devem ser ajuizadas e por meio delas sejam cobrados R$ 684 milhões de autores de irregularidades em autarquias e fundações federais.

Saiba mais sobre as ações de combate a irregularidades

Com informações do Ministério da Economia, Controladoria-Geral da União, Câmara dos Deputados e Instituto Nacional de Seguridade Social