Notícias

Novo encontro reforça foco no desenvolvimento da cadeia de fibras do Amazonas

Segmento tem motivado reuniões entre entes público e privados que têm, dentre outros objetivos, resgatar a produção de fibras no estado.
Publicado em 07/10/2021 08h32 Atualizado em 07/10/2021 10h10

Representante do grupo J. Serrano buscou conhecer de perto as potencialidades do CBA (Foto: Márcio Gallo/Suframa)

Em reunião ocorrida na sede da Secretaria de Estado de Produção Rural do Amazonas (Sepror-AM), nesta terça-feira (5), o Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA) foi convidado a participar das discussões que envolvem estratégias para recuperar a produção de fibras vegetais no estado. O encontro, que deu continuidade à agenda realizada no CBA no dia 28 de setembro, contou, também, com a presença de representantes da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), da Companhia Têxtil de Castanhal (CTC) - filial Manacapuru -, e da J. Serrano, empresa têxtil com sede em São Paulo que projeta investir no mercado de fibras do Amazonas.

Propostas visando ao resgate da produção de fibras no estado - encabeçadas pelo governo do Amazonas - nortearam o encontro. O titular da Sepror-AM, Petrúcio Magalhães, afirmou que a diretriz do poder público estadual é promover mudanças positivas no cenário da produção e comercialização de fibras vegetais, de forma a atender a demandas que tenham por objetivo estimular o desenvolvimento da cadeia produtiva e gerar benefícios à sociedade local.

Representado, na ocasião, pelo pesquisador Felipe Padilha, o CBA busca contribuir com o desenvolvimento da cadeia de fibras locais e, para tanto, tem no laboratório de Biotecnologia Vegetal do Centro uma série de projetos em desenvolvimento que podem ajudar com os avanços nesta área. "Durante a visita ao laboratório do CBA pudemos apresentar algumas atividades promovidas pelo Centro que podem colaborar com o segmento de fibras, inclusive utilizando o carro-chefe de nossas pesquisas, o curauá", disse Padilha.

Atuação do CBA
Após a reunião da manhã, o representante da J. Serrano visitou na parte da tarde, juntamente com o gestor do Centro, Fábio Calderaro, os laboratórios do Centro de Biotecnologia da Amazônia para identificar as potencialidades da instituição para o apoio às cadeias de fibras locais. Com foco nos laboratórios de Biotecnologia Vegetal e na Central Analítica, o empresário verificou os processos em andamento e os avanços obtidos pelo corpo científico do Centro, em especial na replicação de fibras de interesse ambiental e comercial.

Durante a visita, o gestor do CBA reforçou o compromisso da instituição e da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), Autarquia à qual o Centro é vinculado, com o setor primário e com o apoio à sociedade, especialmente na geração de um ambiente melhor de negócios que propicie aumento na oferta de empregos e melhoria na renda.

 

Comunicações e Transparência Pública