Notícias

Segurança pública

Sudene retoma projeto de fortalecimento da segurança pública em sua área de atuação

CAB Motors passa a fazer parte do grupo de parceiros da Autarquia nesta ação.
Publicado em 08/06/2021 16h40 Atualizado em 08/06/2021 16h55
Projeto de segurança pública é retomado pela Sudene

Consórcio Intermunicipal de Segurança Pública e Defesa Social de Pernambuco, que se propõe a ser uma ferramenta de integração das políticas públicas de segurança e defesa social.

A participação da fábrica de veículos foi efetivada pelo superintendente da Sudene, Evaldo Cruz Neto, e o presidente da CAB Motors, Antonio Ferreira de Souza. A proposta é fazer com que a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste seja um centro de discussão sobre ações de segurança pública para a região, tornando a participação dos municípios mais efetiva e aproximando-os do Governo Federal para, juntos, buscar soluções no combate à violência.

O Projeto é desenvolvido com o Consórcio Intermunicipal de Segurança Pública e Defesa Social de Pernambuco, que se propõe a ser uma ferramenta de integração das políticas públicas de segurança e defesa social. A ideia é promover, junto aos consorciados, “a ordem pública e a segurança cidadã, com a necessidade de se estabelecer políticas democráticas de prevenção ao crime e a violência, caracterizadas pela transparência, participação social, subordinação à lei e ao respeito aos direitos humanos”, como apresenta a página do grupo em uma rede social.

A Sudene pretende replicar as atividades do Consórcio em outros estados da sua área de abrangência, facilitando a tomada de decisão e a atração de investimentos para projetos de segurança pública. Esse é um tema considerado importante para a promoção do desenvolvimento e está contemplado no Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE). Um dos programas do plano é o “Nordeste Pacífico”, que lista, entre outras iniciativas, o fortalecimento da inteligência para a prevenção da criminalidade e ações de apoio socioeducativo para jovens em situação vulnerável. Uma das metas previstas é reduzir a taxa de homicídios para cada cem mil habitantes de quarenta e oito habitantes, registrada em 2017, para trinta habitantes até 2023.

Justiça e Segurança