Notícias

Governo Federal lança programa Saneamento Brasil Rural

Expectativa é levar água tratada e esgotamento sanitário a 25 milhões de domicílios rurais. Cerca de 40 milhões de brasileiros serão beneficiados pelo primeiro programa especialmente voltado ao saneamento básico em zona rural.
saneamento_brasil_rural.jpg

- Foto: Foto: Alan Santos/PR

O Presidente Jair Bolsonaro participou na tarde desta terça-feira, 03, da cerimônia de assinatura da portaria que cria o Programa Saneamento Brasil Rural, primeiro programa governamental voltado especificamente para ações de promoção do saneamento básico rural no País. O programa, divulgado durante evento no Palácio do Planalto, prevê ações para levar água tratada e esgotamento sanitário a 25 milhões de domicílios rurais, beneficiando cerca de 40 milhões de brasileiros.

O Presidente da Fundação Nacional de Saúde (Funasa/MS), Ronaldo Nogueira, salientou a importância do Programa Saneamento Brasil Rural, que prevê um investimento de 218 milhões de reais para o saneamento rural nos próximos vinte anos. “A história do saneamento básico no Brasil começa a mudar. Durante os últimos governos, o saneamento tem sido um privilégio de áreas urbanizadas. A partir de hoje, a expectativa é de que 7 milhões de municípios rurais possam receber água tratada e 4 milhões possam receber água e tratamento de esgoto”.

Segundo Nogueira, o programa irá ajudar no combate a doenças que hoje contribuem para aumentar o índice de mortalidade infantil. “O foco do governo Bolsonaro é fazer em 4 anos o que não foi feito em 40. Fecharemos 2019 com 700 milhões de reais investidos em 2.400 obras em território nacional”, concluiu.

O Ministro-Chefe da Casa Civil, Onix Lorenzoni, agradeceu o apoio dos parlamentares que discutem no Congresso Nacional um novo marco legal para estender água e esgoto sanitário a 100 milhões de brasileiros. “A eletricidade chegou antes. Telefone chegou antes. Lamentavelmente água encanada e esgotamento não. Esse é momento importantíssimo”, afirmou. O Ministro da Casa Civil afirmou que o há espaço para investimento em saneamento no Brasil. “Em apenas 11 meses, o Brasil já e visto de outra forma pelas nações e pelos investidores. Há futuro para todos nós”, encerrou.