Notícias

TÓQUIO 2021

Presidente Jair Bolsonaro recebe atletas que participaram dos jogos olímpicos e paralímpicos

Grande incentivadora do esporte, ministra Flávia Arruda esteve na cerimônia aos atletas
Publicado em 07/10/2021 11h34
ministra com atletas 1.jpeg

Ao lado do Presidente Jair Bolsonaro e demais ministros, A Ministra-Chefe da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, participou nesta quarta-feira (06/10) da cerimônia que recebeu, no Palácio do Planalto, atletas olímpicos e paralímpicos que representaram o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Os Jogos Paralímpicos de Tóquio marcaram a melhor campanha do Brasil em paralimpíadas e alcançaram recorde de medalhas de ouro. Nos Jogos Olímpicos, os atletas brasileiros também obtiveram o melhor resultado até agora.

O Bolsa Atleta, programa de patrocínio individual do Governo Federal, esteve presente em 94% de todas as conquistas de medalhas por atletas brasileiros nos Jogos Paralímpicos e em 90% dos pódios dos Jogos Olímpicos.

 

 

Jogos Paralímpicos de Tóquio

Dos 236 atletas titulares em Tóquio, 226 (95,7%) integram o Bolsa Atleta. A maior parte dos atletas (57,6%) recebem Bolsa Pódio que é a principal categoria do programa. O Bolsa Atleta esteve presente em 94% de todas as conquistas de medalhas por atletas brasileiros. No total, os brasileiros ganharam 72 medalhas nos Jogos de Tóquio, sendo que 68 foram de integrantes do programa.

Recorde de ouros

O Brasil teve recorde de ouros nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, com 22 medalhas, superando as 21 dos jogos de Londres 2012. Além de 20 pratas e 30 bronzes. O país encerrou os jogos na sétima colocação do ranking mundial. Foi em Tóquio que o Brasil chegou a sua 100ª medalha de ouro na história dos Jogos Paralímpicos.

Das 22 medalhas de ouro obtidas, 20 delas foram alcançadas por esportistas do Bolsa Atleta, sendo 18 de integrantes da categoria Pódio. E das 20 medalhas de prata, 18 são de integrantes do programa, assim como 100% dos 30 bronzes obtidos.

 

Investimento no esporte

O Brasil competiu em Tóquio com a maior delegação em Jogos Paralímpicos no exterior. Foram 259 atletas, incluindo atletas-guia, calheiros, goleiros e timoneiro. Desse total, 236 são atletas titulares, dos quais 226 integram o Bolsa Atleta.

A delegação brasileira viajou ao Japão respaldada por um investimento de R$ 117 milhões do Governo Federal via Bolsa Atleta. Esse é o valor repassado historicamente, desde 2005, aos 226 esportistas do grupo que integram o programa.

Jogos Olímpicos de Tóquio

Vinte e uma medalhas, o maior número já obtido pelo Brasil em Jogos Olímpicos. Foi esse o saldo dos jogos de Tóquio. O Bolsa Atleta está conectado a 90,4% dos pódios do Brasil. Isso porque, das 21 medalhas conquistadas no Japão, 19 têm participação de atletas com apoio do programa. Foram seis ouros, cinco pratas e oito bronzes com a presença de atletas contemplados pelo programa. Esse resultado garantiu ao Brasil a 12ª colocação no ranking de países.

Programa de Atletas de Alto Rendimento

Os atletas militares representaram 30% da delegação brasileira em Tóquio com mais de 90 esportistas. Por ano, o Ministério da Defesa investe cerca de R$ 38,3 milhões no Programa de Atletas de Alto Rendimento das Forças Armadas (PAAR).

 

Bolsa Atleta nas Olimpíadas

Do grupo dos 302 atletas convocados para os Jogos Olímpicos, 242, o que corresponde a 80%, fazem parte do programa. Para o Bolsa Atleta, o Ministério da Cidadania assegurou para 2021 um orçamento de R$ 145,2 milhões, o maior desde 2014.

O Governo Federal é o maior patrocinador do esporte olímpico e paralímpico no país, com um investimento anual superior a R$ 750 milhões. Nesse valor estão abrigados o tripé que hoje representa a maior fonte de investimento do esporte brasileiro, formado pela Lei das Loterias, Bolsa Atleta e Lei de Incentivo ao Esporte

 

Com informações do Palácio do Planalto.