Notícias

Ministra Flávia Arruda participa de cerimônia de posse de conselheiros do Conselho Nacional do Ministério Público

Em seu discurso, a Ministra-Chefe da SeGov enfatizou a importância da harmonia e do diálogo entre as instituições da República
Publicado em 13/09/2021 16h43 Atualizado em 14/09/2021 07h40
posseCNMP1.jpeg

O Conselho Nacional do Ministério Público Federal deu posse, nesta segunda-feira (13/09), aos conselheiros Engels Muniz e Moacyr Filho, nomeados para o biênio 2021- 2023. A 13ª Sessão Ordinária do CNMP foi presidida pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, e teve a presença de ministros do STF, do STJ, do ministro da Justiça, Anderson Torres, da ministra de Estado Chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, Flávia Arruda, e do advogado-geral da União, Bruno Bianco.

Em seu discurso, a ministra Flávia lembrou que o CNMP desempenha papel fundamental na estrutura do sistema jurídico brasileiro e que “agora, esse Conselho tem uma função ainda mais importante. A harmonia e a independência entre os Poderes estão sendo testadas, aqui no Brasil e em vários países do mundo. Essa harmonia e independência, com o respeito dos limites de cada um, são fundamentais para o fortalecimento da nossa democracia. Isso é o que nós vivemos e lutamos. Eu só acredito em democracia com diálogo. E esse Conselho, ao dialogar com as outras esferas e instâncias do poder, e ao exercer um papel crítico e construtivo, certamente saberá ajudar na construção das relações harmoniosas, independentes, respeitosas e limitadas pela lei, sem exageros, sem voluntarismos, numa contribuição importante neste momento da vida brasileira”, defendeu a ministra.

 

Diálogo e construção

Flávia Arruda lembrou que a construção política se faz e permeia em todos os entes, em todos os momentos. “Eu posso dar um testemunho aqui que o Presidente da República Jair Bolsonaro é um líder popular nato e sabe ouvir. O presidente tem nos ouvido. E da mesma forma que faz críticas eventuais, pontuais, discordâncias em questões de relações entre os poderes, também tem tido humildade e sabedoria para corrigir os rumos e buscar essa conciliação. E acho que todos nós devemos e podemos participar disso”, compartilhou a ministra, que também lembrou aos presentes o seu compromisso com a construção de pontes: “Tenham a certeza que em mim, no papel em que fui designada no momento, terão todas as pontes, o diálogo permanente e a construção, pois só assim podemos fazer um país mais justo, democrático e harmonioso, que é o que todos nós esperamos em momentos difíceis, que é o que estamos atravessando, principalmente com essa pandemia”.

A ministra Flávia homenageou ainda as conselheiras Sandra Krieger e Fernanda Marinela: “É uma honra muito grande ver mulheres fortes num Conselho como esse. Nós, mulheres, sabemos o quão difícil é para nós estarmos e ocuparmos espaços de poder. Por isso, retroceder jamais. Avançar sempre. Vamos todos juntos”.