Notícias

Covid-19

Governo Federal articula com governadores no enfrentamento à COVID-19

Reuniões coordenadas pela SEAF tiveram a participação do ministro da Saúde, Nelson Teich, e a presença de todos os 26 estados e o Distrito Federal
Publicado em 30/04/2020 19h37 Atualizado em 30/04/2020 19h40
Conferencia

A Secretaria de Governo da Presidência da República, por meio da Secretaria Especial de Assuntos Federativos (SEAF), vem realizando continuamente videoconferências com os governadores dos 26 Estados e do Distrito Federal. Nesta semana, as reuniões online tiveram a participação do ministro da Saúde, Nelson Teich, do secretário-executivo do Ministério da Saúde, Eduardo Pazuello, e do coordenador do Centro de Coordenação das Operações do Comitê de Crise da Covid-19 (CCOP), Heitor Abreu.

Os ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Braga Netto (Casa Civil) abriram as reuniões sempre enfatizando que o Governo Federal segue trabalhando para apoiar e socorrer os estados e municípios e que estão com todos os canais abertos para que a comunicação entre os entes federativos seja pontual, com as demandas atendidas em tempo célere. Todos os estados participaram com seus respectivos governadores e/ou secretários de Saúde.

A secretária especial de Assuntos Federativos da Secretaria de Governo, Deborah Arôxa, explica a importância da união em momentos de crise.   “Como secretária de articulação com os entes federativos, exalto a iniciativa do ministro Teich em construir um diálogo com os governadores. Isso demonstra que o Governo Federal vem atuando conjuntamente com estados e municípios no combate à pandemia”.

Na primeira videoconferência (Região Norte), na terça-feira (28), o ministro Teich e o secretário Pazuello conduziram a reunião e ouviram dos governadores Helder Barbalho (Pará), Wilson Lima (Amazonas), Antonio Denarium (Roraima) e Coronel Marcos Rocha (Rondônia) a necessidade de equipamentos e insumos, principalmente respiradores. Teich enfatizou que nenhum estado ficará desassistido e que a prioridade são os locais mais graves, como o Amazonas.

Na quarta-feira (29), na videoconferência (Região Sul), os governadores demonstraram preocupação com a chegada do inverno, que pode causar picos da COVID-19. Apesar de estarem razoavelmente estruturados, Ratinho Júnior (Paraná), Eduardo Leite (Rio Grande do Sul) e Carlos Moisés (Santa Catarina) querem abrir mais leitos. O ministro Teich parabenizou os governadores sulistas pela forma como estão conduzindo suas ações e esclareceu que não vai desassistir nenhum estado, mas pede a compreensão deles “porque é preciso dar prioridade para aqueles estados com a situação mais grave”, disse.

O ministro da Saúde também reuniu-se com governadores da Região Nordeste no período da tarde. Os governadores Flávio Dino (Maranhão), Rui Costa (Bahia), Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte), Welington Dias (Piauí), Paulo Câmara (Pernambuco), Belivaldo Chagas (Sergipe), Camilo Santana (Ceará) e João Azevedo (Paraíba) relataram dificuldade em encontrar fornecedores para adquirirem equipamentos, principalmente respiradores. Teich informou que o Governo Federal está buscando respiradores fora do Brasil e relembrou que essa dificuldade de compra é mundial, não só brasileira.  “Nós também estamos angustiados. Não existe nenhuma diferença entre a gente e vocês em relação à preocupação com as pessoas, em salvar vidas. À medida que respiradores forem chegando, vamos enviando para vocês”, tranquilizou.

Na quinta-feira (30), as videoconferências foram com os governadores das Regiões Sudeste e Centro-Oeste.

Aos governadores João Doria Júnior (São Paulo), Renato Casagrande (Espírito Santo), Wilson Witzel (Rio de Janeiro) e Romeu Zema (Minas Gerais), o ministro Nelson Teich disse que já está sendo desenhada a estratégia para cada região do País com ações rápidas e essas ações serão combinadas entre o Governo Federal e os Estados. Uma delas é o programa de testes para avaliar as novas ondas e, assim, traçar o plano de enfrentamento. O governador de São Paulo, João Dória, parabenizou o ministro Teich pela condução das ações.

O governador Witzel compartilhou a dificuldade em contratar profissionais de saúde e recebeu do ministro a solução: o banco de cadastro nacional do Ministério da Saúde com 14 categorias de profissionais da área. “O Rio de Janeiro tem hoje 1.035 médicos e 3.800 enfermeiros cadastrados nesse banco que podem ser recrutados pelo estado, e todos estão capacitados”, informou a equipe técnica do Ministério da Saúde, presente na reunião.

A última videoconferência da semana foi com os governadores e representantes estaduais do Centro-Oeste: Mauro Mendes (Mato Grosso), o vice-governador do Distrito Federal, Paco Brito e Ronaldo Caiado (Goiás). Caiado agradeceu pelo primeiro hospital de campanha do Governo Federal ter sido construído em Goiás, na região do entorno, onde a população é de 1,2 milhão de pessoas e não conta com hospitais estaduais nas proximidades. O governador Mauro Mendes e Eduardo Riedel, secretário de Governo do Mato Grosso do Sul, agradeceram à secretária Deborah Arôxa pelo trabalho de proximidade e articulação em um momento tão difícil e enfatizou a importância da parceria da SEAF com os estados e municípios brasileiros.