Notícias

Covid-19

Para combater o coronavírus em comunidades tradicionais, Governo Federal lança plano de contingência no valor de R$ 4,7 bilhões

Publicado em 17/04/2020 10h28 Atualizado em 22/04/2020 15h02

(Foto: Anderson Riedel/PR)

Na última segunda-feira (13), o Governo Federal apresentou mais uma etapa do Plano de Contingência para Pessoas Vulneráveis no combate ao coronavírus. Realizada no Palácio do Planalto, a cerimônia contou com a presença da ministra Damares Alves, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, e do líder da pasta da Justiça, Sérgio Moro.

O plano de contingência, com orçamento de R$ 4,7 bilhões, envolve gastos com pagamento de auxílio emergencial, custeio de merenda escolar, distribuição de cestas básicas, criação de leitos hospitalares e compra de equipamentos de prevenção, como máscaras e luvas, para profissionais da saúde indígena. A finalidade dessas ações é reduzir os riscos à saúde e proteger os direitos fundamentais das comunidades tradicionais.

Além disso, a Secretaria Especial de Saúde Indígena, do Ministério da Saúde, elaborou um documento para orientar gestores e colaboradores sobre como lidar com a pandemia no âmbito da população indígena. O "Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo Novo Coronavírus (Covid-19) em Povos Indígenas" inclui medidas de prevenção ao contágio da doença e recomendações sobre o atendimento aos indígenas que apresentarem sintomas relacionados ao coronavírus. Segundo a Sesai, casos suspeitos serão tratados como prioridade para que seja evitado o contato com outros indígenas do local. O plano de contingência propõe também que Agentes Indígenas de Saúde e Saneamento recebam informações e auxiliem a comunidade quanto à conscientização sobre medidas de prevenção e controle da doença.

A mobilização de recursos proposta pelo Governo Federal e o plano de contingência criado pela Sesai são algumas das medidas aplicadas para enfrentamento da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, que atinge as populações vulneráveis com mais intensidade. A Secretaria Especial de Articulação Social (SEAS) representa a SEGOV no grupo formado para elaborar o Plano de Contingência para Pessoas Vulneráveis.