Notícias

PÁTRIA VACINADA

Vacina da Pfizer: estados já podem expandir a vacinação para municípios

Aplicação do imunizante, inicialmente, esteve restrita às capitais, em razão das condições logísticas requeridas à preservação da qualidade destas vacinas
Publicado em 26/05/2021 15h22

A aplicação da vacina Covid-19 da Pfizer/BioNTech já pode se estender além das capitais brasileiras. A partir de agora, o Ministério da Saúde, em pactuação com os estados, orienta que as Unidades Federativas definam quais os municípios que receberão o imunizante em seus territórios.

As cidades elegíveis passaram pela verificação de critérios técnicos, como o distanciamento de até 2h30 da capital do estado, considerando as particularidades que envolvem o armazenamento da vacina durante o transporte.

Nesta semana, a pasta está distribuindo mais um lote com 609 mil doses da vacina da Pfizer. Até o momento, mais de 2,2 milhões de doses do imunizante foram enviadas para todo o Brasil.

Para que a vacinação dentro dos estados ocorra de forma proporcional, o ministério também recomenda que as Unidades Federativas adotem estratégias de distribuição de doses, pautadas no portfólio de vacinas disponibilizadas e nas prioridades consideradas para elegibilidade dos municípios, o que viabiliza a adequada continuidade da vacinação dos grupos prioritários.

A ação cuidadosa da Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações (PNI) decorre de uma estratégia de segurança adotada para otimização das ações voltadas à campanha nacional de vacinação contra a Covid-19.

ARMAZENAMENTO

No início de maio, quando a pasta iniciou a distribuição das vacinas da Pfizer no Brasil, o Ministério da Saúde orientou que a vacinação com o imunizante fosse realizada apenas em unidades de saúde das capitais brasileiras. Isso porque a plataforma tecnológica requer um cuidado específico que envolve períodos associados à temperatura preconizada, de transporte e armazenamento.

No Centro de Distribuição da pasta em Guarulhos (SP) do MS, as doses ficam armazenadas a temperatura de -90°C a -60°C, em ultra freezers instalados. Os estados recebem o imunizante entre -25°C e -15°C. Atualmente, as doses podem ficar nessa faixa de temperatura por até 14 dias. Nas salas de vacinação, onde a refrigeração é de +2 a +8°C, as doses são armazenadas nesta faixa de temperatura por até cinco dias, período máximo em que devem ser aplicadas.

Marina Pagno
Ministério da Saúde
(61) 3315-3580 / 2351

Saúde e Vigilância Sanitária