Notícias

MOVIMENTE-SE

Ministério da Saúde lança o primeiro guia para promoção de atividade física no país

A prática regular de atividade física está associada ao combate de doenças como câncer, diabetes, cardiopatia e eventos de acidente vascular cerebral e melhor qualidade de vida
Publicado em 29/06/2021 12h03 Atualizado em 01/07/2021 18h56
Ministério da Saúde lança o primeiro guia para promoção de atividade física no país.png

Foto- Walterson Rosa/MS

As atividades físicas trazem vários benefícios para quem as pratica, e vão desde a redução do risco de desenvolver doenças associadas ao excesso de peso ou comportamento sedentário até a diminuição de condições associadas à saúde mental, como ansiedade e depressão. Para incentivar que as pessoas tenham hábitos mais saudáveis e melhor qualidade de vida, o Ministério da Saúde lançou nesta terça-feira (29/6) o primeiro Guia de Atividade Física para a População Brasileira.

 

Ao participar da abertura do evento, o secretário da Secretaria de Atenção Primária à Saúde (SAPS), Raphael Câmara, reforçou que o guia de atividade física tem objetivo conscientizar a população a fazer exercícios físicos. “O guia é um marco histórico que está completamente alinhado com os compromissos do governo do presidente Jair Bolsonaro em promover a saúde da população. As recomendações do documento são primordiais na atenção primária da saúde”, afirmou.

De acordo com Raphael, a partir do guia, o Ministério busca implementar diretrizes do serviço de saúde e promover a intersetorialidade da atenção primária em nível municipal. “No contexto da pandemia, a atividade física ajuda a fortalecer a imunidade e nós estamos incentivando a população a se movimentar”, concluiu.

A presidente da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Socorro Gross, lembrou que a região das Américas é onde se concentram as pessoas mais obesas do mundo. De acordo com ela, 4 entre 10 pessoas não praticam atividade física suficiente. “São espaços onde a televisão tem tomado muito tempo das nossas crianças, por exemplo”, disse.

O guia foi produzido em parceria com a Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Cerca de 70 pesquisadores da área da atividade física e saúde, assim como técnicos do ministério e da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) participaram da elaboração. O documento é dividido em oito capítulos e aborda a prática de atividades físicas em diversos contextos, grupos e ciclos de vida.

No guia, constam também recomendações sobre a quantidade, a intensidade e os exemplos de atividades aeróbicas, de força e de equilíbrio, além de indicações para um estilo de vida ativo. Dentre os capítulos estão conteúdos voltados para o público em geral; crianças até 5 anos; crianças e adolescentes até 17 anos; adultos; idosos; gestantes e puérperas; educação física escolar e pessoas com deficiência.

A prática regular de atividade física contribui para a proteção e combate às doenças crônicas não transmissíveis, como câncer, diabetes, cardiopatia e eventos de acidente vascular cerebral; além de estar relacionada a um menor índice de mortalidade por todas as causas.

Dados de 2019 mostram que, no Brasil, 44,8% da população não realiza o mínimo de atividade física recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A instituição recomenda que adultos façam atividade física moderada de 150 a 300 minutos ou de 75 a 150 minutos de atividade física intensa, por semana, quando não houver contraindicação. A estimativa é de que a inatividade física seja responsável por 15% das internações no Sistema Único de Saúde (SUS).

DISTRIBUIÇÃO

O Ministério da Saúde vai distribuir 74 mil exemplares do guia para secretarias estaduais e municipais de saúde. Além disso, o documento será enviado para profissionais e usuários do Programa Academia da Saúde, Centros de Reabilitação com foco na atenção às pessoas com deficiência visual, ministérios e órgãos governamentais. O guia também será disponibilizado pela Pasta em formato digital em inglês e espanhol, em braile e em versão de áudio.

INVESTIMENTO

Desde 2011, o Ministério da Saúde fomenta a implantação de polos do Programa Academia da Saúde (PAS) para incentivar ações de atividade física e promoção da saúde. A Pasta repassa mais de R$ 56 milhões para o custeio de 1.580 polos do programa em todo o país por ano. No mês de maio deste ano, cerca de 10 mil ações para a prática de atividades físicas foram realizadas nos polos e registradas no sistema de informação do ministério. Mais de 96 mil pessoas participaram da iniciativa.

Ministério da Saúde
(61) 3315-3580 / 2351

Saúde e Vigilância Sanitária