Notícias

É HORA DE VACINAR

Ministério da Saúde lança campanha de multivacinação para crianças e adolescentes

De 1º a 29 de outubro, 18 tipos de vacinas estarão disponíveis para menores de 15 anos em postos de imunização em todo o país
Publicado em 30/09/2021 11h55 Atualizado em 30/09/2021 15h50
capa-123344.jpg

Manter a vacinação de crianças e adolescentes em dia é um compromisso do Governo Federal e os pais e responsáveis têm papel fundamental nessa missão. Pensando nisso, o Ministério da Saúde lançou, nesta quinta-feira (30), a Campanha Nacional de Multivacinação de 2021. O objetivo é atualizar a caderneta de vacinas de crianças e adolescentes menores de 15 anos (14 anos 11 meses e 29 dias).

Com dia “D” marcado para o dia 16 de outubro, a Campanha será realizada de 1º a 29 de outubro de 2021. Cerca de 45 mil postos de vacinação estarão abertos para disponibilizar as doses dos 18 agentes imunizantes que compõem o Calendário Nacional de Vacinação da criança e do adolescente.

Durante a cerimônia de lançamento, o ministro da Saúde substituto, Rodrigo Cruz, ressaltou que a campanha será um sucesso, já que os brasileiros têm uma cultura de vacinação.

“Na vacinação da Covid-19, por exemplo, temos mais de 90% da população adulta com a primeira dose, e estamos chegando perto do patamar de 60% da população vacinável com as duas doses. Isso mostra que o brasileiro tem, sim, cultura vacinal. E a gente espera que, ao longo desses 30 dias, isso seja comprovado. O objetivo dessa imunização, como o secretário Arnaldo colocou muito bem, é evitar que algumas doenças que já estão erradicadas voltem, e mais do que isso: proteger a vida dessas crianças. As crianças são o futuro do nosso país", ressaltou o ministro.

Dentre as vacinas que estarão disponíveis nos postos na campanha estão: BCG, Hepatite A e B, Penta (DTP/Hib/Hep B), Pneumocócica 10 valente, VIP (Vacina Inativada Poliomielite), VRH (Vacina Rotavírus Humano), Meningocócica C (conjugada), VOP (Vacina Oral Poliomielite), Febre amarela, Tríplice viral (Sarampo, rubéola, caxumba), Tetraviral (Sarampo, rubéola, caxumba, varicela), DTP (tríplice bacteriana), Varicela e HPV quadrivalente (Papilomavírus Humano).

Embora o Sistema Único de Saúde (SUS) oferte imunizantes contra todas essas enfermidades, o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, alertou para a queda da cobertura vacinal nos últimos anos. “Percebemos que desde 2015 a cobertura vacinal no Brasil vem diminuindo - reflexo do próprio processo pandêmico nos últimos dois anos. Precisamos melhorar esta cobertura. Ampliar a cobertura vacinal e proteger a população é uma prioridade do Governo Federal. Manter a vacinação em dia é também um dever dos pais e responsáveis. Leve seu filho, sua criança e adolescente”, conclamou o secretário.

Veja aqui a apresentação sobre os dados de vacinação.

Estarão disponíveis para atualização da caderneta de adolescentes as vacinas HPV, dT (dupla adulto), Febre amarela, Tríplice viral, Hepatite B, dTpa e Meningocócica ACWY (conjugada).

Exemplo para o mundo
A atualização da situação vacinal aumenta a proteção contra as doenças imunopreveníveis, evitando a ocorrência de surtos e hospitalizações, sequelas, tratamentos de reabilitação e óbitos. A mobilização nacional é uma estratégia adotada pelo Ministério da Saúde e é realizada com sucesso desde 1980. A campanha acontecerá em todo o território nacional, com absoluta transparência e segurança.

“A vacinação é a intervenção mais custo efetiva de saúde pública que nós temos. É segura. Salva vidas. É preventiva. Essa campanha de multivacinação que o Brasil está fazendo é um exemplo para nossa região, para o mundo, de que nós podemos fazer diferente”, destacou a representante da Organização Pan-Americana da Saúde/OPAS/OMS no Brasil, Socorro Gross, na cerimônia de lançamento da campanha.

O secretário da Atenção Primária à Saúde, Raphael Câmara, destacou que a efetividade da campanha depende da união de todos – União, estados, municípios – e que a participação da mídia é fundamental na divulgação. “Estamos falando de vacinas com altíssima eficácia. As vacinas do sarampo e varíola, por exemplo, têm efetividade de praticamente 100%. Temos que vacinar”, frisou o secretário.

Todas as vacinas, que integram o Programa Nacional de Imunizações (PNI), são seguras e estão registradas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Os dados preliminares das doses aplicadas serão divulgados no LocalizaSUS.

Cuidados com a Covid-19
Para realizar uma Campanha de Multivacinação segura, o Ministério da Saúde preparou todos os serviços de saúde. Por conta da pandemia da Covid-19, todas as medidas e protocolos de segurança para proteger a população e os trabalhadores de saúde deverão ser adotados pelos entes federativos. A Pasta orienta que sejam utilizados espaços ventilados ou ao ar livre para vacinar as crianças e adolescentes.

O Ministério da Saúde recomenda ainda que seja observado o distanciamento social dentro das instalações das unidades de saúde, salas ou postos de vacinação e a disponibilidade de local para higienização das mãos. É importante que a população tenha disponível água e sabão ou álcool em gel 70%. O uso de máscara também é recomendado para todos que ingressarem nos pontos de vacinação.

Aos pais e responsáveis, o Ministério da Saúde informa que a Campanha de Multivacinação é uma estratégia eficaz que, em um único momento, são oferecidas às crianças e adolescentes, as vacinas do Calendário Nacional de Vacinação, facilitando assim a ida dos pais ou responsáveis ao serviço de saúde para atualização das vacinas das crianças e dos adolescentes. A vacinação é uma responsabilidade de todos! Faça a sua parte!

Fernando Brito e Nathan Victor
Ministério da Saúde

Saúde e Vigilância Sanitária