Notícias

Meta alcançada

Ministério da Saúde conclui envio de vacinas Covid-19 para imunizar a população adulta com a primeira dose

A partir de agora, nova etapa da Campanha de Vacinação terá envio de vacinas para dose reforço e redução do intervalo entre as doses
Publicado em 15/09/2021 11h42
Ministério-da-Saúde-conclui-envio-de-vacinas-Covid-19-para-imunizar-a-população-adulta-com-a-primeira-dose.jpg

Milhões de brasileiros imunizados, milhares de profissionais de saúde trabalhando sem medir esforços, 38 mil salas de vacinação em todo país, em uma campanha de vacinação inédita no Brasil que chega a uma marca histórica. O Ministério da Saúde concluiu, nesta quarta-feira (15), o envio de imunizantes para vacinar, com a primeira dose, os mais de 158 milhões de brasileiros acima de 18 anos.

O último lote com 1,1 milhão de doses da Pfizer/BioNTech, que fará o País alcançar essa importante meta, foi distribuído nesta quarta para todo país. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, acompanhou o envio das doses direto do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. Queiroga estava acompanhado do ministro das Comunicações, Fábio Faria, da ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda e do ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, além dos secretários do Ministério da Saúde.

Em seu pronunciamento, Queiroga destacou o trabalho incansável para concluir essa etapa da campanha de vacinação. “Esse grupo tem trabalhado firmemente para tornar essa realidade possível. Esse é o Sistema Único de Saúde, o Ministério da Saúde, estados e municípios. Quem duvidava da campanha de vacinação do Brasil é porque não acredita no SUS e se não acredita no SUS, não acredita na Constituição Federal”, afirmou. “A saúde é um direito fundamental, a saúde é um direito de todos, é um dever do estado, todos sabemos disso. A campanha de vacinação é algo que o Brasil faz como nenhum outro país do mundo”, ressaltou.

Com esta distribuição, o Brasil chega a mais de 265 milhões de doses enviadas às unidades federativas. Cada um dos 26 aviões que partiram com as doses de esperança representam a conclusão desta fase da campanha. Todos os superintendentes do Ministério da Saúde acompanharam as entregas das doses aos seus respectivos estados.

O ministro Ciro Nogueira reforçou a importância desse dia histórico para a campanha de vacinação. "Sempre tive a coragem de dizer que nós vamos imunizar a população brasileira. Nisso, diversos fatores devem ser apontados. Primeiro, a vontade da população brasileira de ser vacinada e a tradição do nosso país no que diz respeito a vacina. Segundo, a determinação do presidente Jair Bolsonaro de não deixar faltar nenhuma dose para todo brasileiro que desejar se vacinar", disse. Durante o evento, Queiroga aplicou a segunda dose da vacina no ministro-chefe da Casa Civil.

O esforço de todos os envolvidos na campanha de vacinação foi destaque no pronunciamento do ministro das Comunicações, Fabio Faria, que também foi vacinado nesta quarta (15) pelo ministro da Saúde. “É um dia histórico para o país, dia de agradecer todo o esforço do Ministério da saúde, do Governo Federal e do presidente da República. [...] Parabéns a todos os médicos, secretários, equipes que têm trabalhado 24 horas por dia. Vocês estão dando exemplo ao Brasil e esse gesto vai ficar marcado no coração de toda população brasileira", concluiu.

Nas últimas pautas de distribuição, o Ministério da Saúde ajustou a quantidade de vacinas distribuídas às unidades da Federação considerando a população acima de 18 anos que ainda não havia tomado a primeira dose.
Por conta disso, em determinados momentos, algumas unidades da Federação receberam um quantitativo maior que outras. A metodologia de distribuição foi adotada para que a pasta alcance o objetivo de que todos terminem a vacinação da população adulta de forma equânime. A ideia é que os brasileiros de todos os estados sejam beneficiados com a imunização igualmente.

Todas as decisões e estratégias referentes à campanha, inclusive as doses que devem ser utilizadas como dose 1 e dose 2, foram pactuadas entre representantes da União, estados e municípios. Portanto, é essencial que os gestores locais sigam as orientações definidas pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO), para que a vacinação avance conforme o planejado e para que não falte doses para concluir o esquema vacinal de toda a população brasileira.

Próximos passos

Finalizada esta etapa, a partir de agora, será possível seguir com os próximos passos da campanha de vacinação. O Ministério da Saúde começa a enviar vacinas para imunizar adolescentes, entre 12 e 17 anos, com comorbidades.
Além disso, a pasta também começa o envio das doses para o reforço entre os grupos prioritários, preferencialmente com a vacina da Pfizer. O reforço para idosos acima de 70 anos deve ocorrer seis meses após a segunda dose ou a dose única e as pessoas imunossuprimidas devem respeitar o intervalo de 28 dias após a segunda dose ou dose única. A redução do intervalo da Pfizer, de 12 para 8 semanas, também está previsto a partir de agora.

Caso haja descumprimento das orientações do PNO, o Ministério da Saúde não pode garantir a distribuição de doses suficientes para completar o esquema vacinal de toda a população. Portanto, é essencial que as unidades federativas cumpram o que foi pactuado em reunião com representantes dos estados, municípios e Governo Federal.

Ministério da Saúde

Saúde e Vigilância Sanitária