Notícias

COVID-19

“A prioridade é reforçar a campanha de vacinação”, diz Queiroga durante visita a Rondônia

Neste ano, Ministério da Saúde enviou mais de R$ 52 milhões para combate à pandemia no estado, além de autorizar leitos e auxiliar no abastecimento de oxigênio
Publicado em 03/06/2021 17h20 Atualizado em 03/06/2021 19h01
capa-03-06-2021.png

Foto: Marina Pagno/ Ministério da Saúde

O ritmo da campanha nacional de vacinação contra a Covid-19 está cada vez mais acelerado e a prioridade do Ministério da Saúde é reforçar ainda mais a imunização no Brasil. Essa foi a mensagem do ministro Marcelo Queiroga durante visita a Rondônia nesta quinta-feira (3/6).

“Essa semana foi muito importante porque nós distribuímos mais de 100 milhões de doses de vacina desde janeiro. Ela também marca a assinatura do acordo de transferência de tecnologia entre a farmacêutica AstraZeneca e a Fundação Oswaldo Cruz provendo autonomia ao Brasil para produzir vacinas com IFA nacional. É uma conquista não só do Ministério da Saúde, não só do Governo do Presidente, Jair Bolsonaro, mas de cada um dos brasileiros”, disse o ministro.

Queiroga se reuniu com entidades médicas no Centro Universitário Aparício Carvalho, na capital Porto Velho, onde destacou o esforço do Ministério da Saúde em garantir a assistência a toda a população.

Neste ano, o Ministério da Saúde já enviou para Rondônia mais de R$ 335 milhões para reforço na rede de saúde pública do estado. Desses, R$ 52 milhões apenas para combate à Covid-19. Além disso, em 2021, foram autorizados em 195 leitos de UTI para pacientes graves da doença - 103 foram para Porto Velho.

O Governo Federal também moveu esforços para garantir oxigênio medicinal nas unidades de saúde de Rondônia neste ano: entre março e abril, o Ministério da Saúde disponibilizou ao estado cerca de 170 mil metros cúbicos de oxigênio com auxílio da Força Aérea Brasileira (FAB) e mais 30 mil metros cúbicos do produto por via terrestre - a quantidade do insumo também atendeu ao estado do Acre. Além disso, foram entregues a Rondônia 340 cilindros de oxigênio.

“O governo tem trabalhado, em conjunto com estados e municípios, para levar políticas públicas de interesse da sociedade. Estou certo de que podemos fazer ainda mais. Mas, para isso, precisamos da confiança de todos. O médico e o paciente, essa relação se baseia na confiança. Hoje os meus ‘pacientes’ são os mais de 210 milhões de brasileiros e eu preciso da confiança de cada um deles”, ressaltou Queiroga.

Pela tarde, o ministro seguiu em Porto Velho, onde visitou o Hospital de Base Doutor Ary Pinheiro e participou da inauguração do novo angeógrafo do município. Queiroga também conheceu as instalações do Hospital João Paulo II, do Hospital do Amor de Rondônia, e de duas unidades de referência para atendimento à Covid-19 na capital rondoniense: a UPA Zona Sul e a Unidade de Saúde da Família Manoel Amorim de Matos.

Marina Pagno
Ministério da Saúde

Saúde e Vigilância Sanitária