Notícias

Vacina

Jovens são alvo da segunda etapa da campanha de vacinação contra sarampo

Mais de 11 milhões de doses da vacina tríplice viral serão enviadas para atender demanda da 2ª etapa da Campanha de Vacinação contra o Sarampo.
Publicado em 18/11/2019 19h06
Jovens são alvo da segunda etapa da campanha de vacinação contra sarampo

Secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira e ministro interino da Saúde, João Gabbardo Foto: Erasmo Salomão/MS

O Ministério da Saúde lançou nesta segunda-feira (18) a segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo para imunizar jovens de 20 a 29 anos que não estão com a caderneta de vacinação em dia. A campanha vai até o dia 30 de novembro com a meta de atingir pelo menos nove milhões de pessoas e, assim, evitar complicações da doença.

Os jovens de 20 a 29 anos são o público-alvo porque foram eles quem mais contraíram sarampo em 2019, respondendo por 30% dos casos. Ao anunciar a segunda fase da campanha, o ministro interino da Saúde, João Gabbardo, explicou que esse grupo é o maior responsável pela transmissão da doença, portanto, imunizá-los é importante para barrar a doença.

“Mesmo quando tem sarampo, eles não têm maior gravidade, mas mais de um terço dos casos de sarampo estão ocorrendo nessa faixa-etária, então, para interromper a cadeia de transmissão do sarampo, precisamos vacinar esse grupo etário”, disse Gabbardo.

O Dia D de Vacinação será no sábado, dia 30 de novembro, quando os postos de saúde permanecerão abertos para receber esse público. Mesmo quem já tomou uma dose da vacina deve se imunizar, pois para se proteger são necessárias duas doses. Serão destinadas 11,3 milhões de doses para todo o país.

Nos últimos 90 dias, 5.660 casos de sarampo foram confirmados no país em 19 estados. São Paulo concentra 91% dos casos em 176 municípios.

Estratégia de vacinação

O ministro interino da Saúde, João Gabbardo, afirmou que a campanha de vacinação para essa faixa etária precisa de uma estratégia diferenciada por se tratar de um público que não costuma ir a postos de saúde.

“Essa população está no comércio, na indústria, nas universidades e temos que fazer um esforço e chegar até lá. Se ficarmos esperando essa população ir na unidade de saúde para se vacinar, provavelmente a gente não consiga ter um resultado satisfatório”, explicou o ministro interino.

De acordo com o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, para ampliar o alcance da imunização, o Ministério da Saúde mobiliza empresários, direção de escolas e comerciantes a articularem para que os profissionais dessa faixa-etária sejam liberados mais cedo para irem às unidades de saúde e para que as prefeituras façam a vacinação volante. “Estamos pedindo a todos que aproveitem essa oportunidade para não deixar de se vacinar”, afirmou o secretário.

Estudante Bruna Rizzolo de OliveiraA estudante Bruna Rizzolo de Oliveira, 21 anos, foi ao posto de saúde, no Distrito Federal, nesta segunda-feira (18), em busca da vacina. O irmão de Bruna está com manchas no corpo e a suspeita é de sarampo. Ele ainda aguarda o resultado dos exames, mas a como os dois moram na mesma casa, Buna achou melhor procurar o posto para se vacinar.

Ao apresentar a carteira de vacinação, a estudante teve uma surpresa, as doses contra o sarampo estão em dia. Para Bruna Rizzolo, a prevenção é a melhor alternativa para evitar doenças. “É fundamental, temos que aproveitar que temos um Sistema Único de Saúde que possibilita isso pra gente sem custo, então, é melhor prevenir que remediar. Se podemos não deixar acontecer, e sem custo, é muito bom”, avaliou.

Primeira fase da campanha

A primeira fase da campanha ocorreu em outubro e teve com público-alvo crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade, grupo mais vulnerável às complicações, sequelas e óbitos.

Balanço do Ministério da Saúde mostra que o Brasil atingiu a meta de vacinação de sarampo, em 2019, com 97% de cobertura vacinal em crianças menores de um ano, melhor número dos últimos cinco anos. Dezesseis estados superaram o índice de 95% das crianças vacinadas.