Notícias

INOVAÇÃO

Supercomputador brasileiro fica mais rápido e contribui para avanços científicos

A expansão de 360%, na capacidade da máquina, permite acelerar pesquisas
Publicado em 26/11/2019 13h00 Atualizado em 26/11/2019 17h41
Supercomputador brasileiro fica mais rápido pra contribuir com avanços científicos

Supercomputador Santos Dumont, localizado em Petrópolis (RJ) - Foto: TV Brasil / EBC

O Brasil tem agora a maior plataforma computacional da América Latina para pesquisas em ciência e tecnologia com a expansão do Supercomputador Santos Dumont. A expansão de 360%, na capacidade da máquina, permite acelerar pesquisas e conseguir mais rápidos resultados de operações que levariam anos nos computadores comuns. Isso significa avanços em áreas como a da saúde, química e engenharia.

A expansão foi inaugurada, nessa segunda-feira (25), em Petrópolis (RJ), pelo Laboratório Nacional de Computação Científica, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI), e contou com a presença do ministro Marcos Pontes.

A capacidade do computador passou de 1,1 Pflops para 5,1 Pflops, o que permite fazer 5,1 milhões de bilhões de operações matemáticas por segundo.

O ministro Marcos Pontes disse que o supercomputador tem a capacidade de alavancar uma série de tecnologias que geram mais empregos e desenvolvimento para o país. “Esse supercomputador trabalha no desenvolvimento de modelamentos na área de óleo e gás. Imagine que a gente consiga melhorar que seja 1%, 2% do Pré-sal. Imagina o quanto isso é de retorno para o país. O retorno de investimento em uma estrutura como essa é muito grande”, avaliou Pontes.

Supercomputador Santos Dumont, localizado em Petrópolis (RJ)Atividades do supercomputador

Em 2018 foram realizados cerca de 150 mil experimentos na máquina e, atualmente, estão em andamento mais de 130 projetos de pesquisa em áreas como química, física, engenharia, ciências biológicas, meteorologia, ciência agrárias, astronomia, climatologia, sismologia e outros.

“Esse supercomputador está sendo bastante usado na área de modelagem de estruturas geológicas para a exploração de petróleo e isso permite a otimização dessa exploração e também na área de saúde para a criação de fármacos, no estudo de proteínas que vão de alguma forma combater vírus e doenças”, exemplificou o diretor do Laboratório Nacional de Computação Científica, Augusto Gadelha.

O supercomputador pode ser usado por todo pesquisador vinculado a uma instituição brasileira que tenha uma pesquisa que demande um sistema computacional de larga escala, como explicou Augusto Gadelha. “O computador é interligado com as grandes universidades, com os grandes institutos de pesquisa por meio de uma rede de alta velocidade, então, as pessoas podem em seus laboratórios, em suas mesas, se conectar ao computador, enviar os dados para fazer o processamento internamente e os dados resultantes serão enviados de retorno para eles”, explicou.

Recursos do Pré-sal

O projeto recebeu 1% das receitas da extração do pré-sal do campo de Mero, localizado na Bacia de Santos. O investimento em atividades de pesquisa e desenvolvimento é parte das obrigações que devem ser assumidas pelas empresas vencedoras dos leilões para exploração de petróleo e gás natural no regime de partilha.