Notícias

EDUCAÇÃO

Ministério da Educação anuncia R$ 115 milhões para levar internet banda larga a escolas

Com a expansão, 56% das escolas urbanas do país passam a ter conexão de banda larga, o que corresponde a 47,5 mil unidades de ensino
publicado 04/11/2019 12h00, última modificação 04/11/2019 21h43
Ministério da Educação anuncia R$ 115 milhões para levar internet banda larga a escolas

Ministro da Educação, Abraham Weintraub e o secretário de Educação Básica, Jânio Macedo - Foto: EBC

Por meio do programa Educação Conectada Terrestre, o Ministério da Educação anunciou, nesta segunda-feira (4), a liberação de R$ 115 milhões para conectar escolas urbanas à Internet de alta velocidade garantindo a tecnologia a 18,6 milhões de estudantes.

O total de R$ 115 milhões será distribuído da seguinte forma: R$ 82,6 milhões serão gastos para levar Internet a 24,5 mil novas escolas, beneficiando 11,6 milhões de estudantes. Os outros R$ 32 milhões serão usados para manter a Internet em dez mil escolas que já têm o programa e atendem sete milhões de alunos.

Com a expansão, 56% das escolas urbanas do país passam a ter conexão de banda larga, o que corresponde a 47,5 mil unidades de ensino.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou que a meta é levar a conexão de velocidade a todas as escolas do país o mais rápido possível. “Com os números atuais, atingimos um patamar importante que é mais da metade das escolas urbanas conectadas via Governo Federal. O ensino hoje no mundo sem estar conectado à Internet é um absurdo. Queremos fazer o mais rápido possível a integralidade”, disse.

A expansão também está em linha com o Enem Digital. “Para isso precisamos dar condições iguais para todos os jovens e crianças terem acesso à Internet, estarem familiarizados com o computador”, completou Weintraub.

Das 24,5 mil novas escolas que vão receber a internet banda larga, 9,7 mil estão na região Sul, 6,9 mil no Nordeste, 4,2 mil no Sul, 1,8 mil no Cento-Oeste e 1,7 mil no Norte.

O secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, Jânio Macedo, explicou que o objetivo do programa é propiciar aos estudantes melhores condições de aprendizado. “E aos professores também, levar novos conhecimentos tecnológicos de forma a tornar a educação mais atrativa tanto para o ensino fundamental como o médio e contribuindo para reduzir a evasão escolar”, completou.

Jânio Macedo explicou que os investimentos no programa Educação Conectada Terrestre contribuem para atingir a meta do Plano Nacional de Educação (PNE) que prevê universalizar, até o quinto ano de vigência do plano, o acesso à rede mundial de computadores em banda larga de alta velocidade.