Notícias

Extensão

Governo Federal libera mais 679 bolsas de pós-graduação

publicado: 04/10/2019 12h00, última modificação: 04/10/2019 20h10
Serão mais 271 bolsas de mestrado, 304 de doutorado e 104 de pós-doutorado
Governo Federal libera mais 679 bolsas de pós-graduação

Ministro da Educação, Abraham Weintraub e o presidente da Capes, Anderson Correia - Foto: Capes

O Ministério da Educação (MEC) e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior (Capes) anunciaram na quinta-feira (03) a liberação de mais 679 bolsas de pós-graduação. 

Para o ministro da Educação, Abraham Weintraub, a oferta é fruto do descontingenciamento e da “ótima” gestão da Capes. “Continuamos correndo para liberar mais verbas para áreas essenciais”, afirmou. Serão liberadas 271 bolsas de mestrado, 304 de doutorado e 104 de pós-doutorado. O mérito e o impacto científico são fatores para a liberação das bolsas.

Em setembro, foram anunciadas as bolsas com notas 5, 6 e 7, as mais bem avaliadas pela Capes. “O trabalho da Capes tem sido muito focado em métodos métricas e na melhoria da gestão”, disse o ministro.

Durante o anúncio, ele explicou que, das bolsas de programa nota 4, foram avaliados todos os programas e 280 apresentaram o Qualis, indicador usado para determinar a qualidade da publicação de artigo científico:

maior ou igual à média do índice da sua área de avaliação de 2017 e 2018; ou

com tendência positiva na série de 2013 a 2018, o que indica uma melhoria ao longo dos anos.

O presidente da Capes, Anderson Correia, destacou que o critério de desbloqueio foi a nota na avaliação realizada pela instituição e que as novas bolsas atendem todo o país. “Com essa abordagem [bolsas de nota 4], a gente consegue atender bem, por exemplo, a região Amazônica”, afirmou o presidente.

A medida foi possível graças ao descontingenciamento de R$ 270 milhões para a Capes, do montante de R$ 1,990 bilhão do Ministério da Educação. Os dados foram anunciados nesta semana.

Com isso, já são 3.861 bolsas liberadas nos últimos 23 dias. As bolsas de cursos com as notas 5, 6 e 7, as mais elevadas na avaliação da Capes, foram liberadas em setembro. Weintraub destacou a busca por qualidade. "O que a gente está fazendo é buscar eficiência, gerar recursos e colocar métricas muito claras", afirmou.

Fonte: MEC