Notícias

Educação

Base Nacional Comum Curricular começa nas escolas em 2020

publicado: 13/09/2019 20h45, última modificação: 13/09/2019 20h45
O currículo comum será para educação infantil e ensino fundamental. Para o ensino médio, a data prevista é 2022
Base Nacional Comum Curricular começa nas escolas em 2020

Foto: TV Brasil

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) será realidade nas salas de aula a partir de 2020 para educação infantil e ensino fundamental. O documento define o que deve ser aprendido a cada etapa da vida escolar. Vale tanto para escolas públicas quanto privadas. Em 2022, será a vez do ensino médio.

 Na Escola Classe Cora Coralina, que fica na área rural da região administrativa do Paranoá (DF), a cerca de 30 quilômetros do centro de Brasília, desde o início do ano os professores iniciaram as atividades de forma interdisciplinar como preparação para a implementação da BNCC.

A professora do 1° ano do ensino fundamental, Samara Yoshiko, contou que tem trabalhado a música associada à matemática e ciências. “Trouxemos a música, aí vamos pegando as palavras que se iniciam com as mesmas letras. Os alunos escolheram suas músicas preferidas, fizemos a votação e elegemos a cantiga de roda preferida da turma. Aí trabalhamos a matemática, qual a mais votada, qual a menos votada. A cantiga mais votada foi Alecrim, aí tem ali uma flor, já trabalhamos a questão das plantas, do cuidado com as plantas”, disse a professora.

O secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, Jânio de Macedo, explicou que a implementação da base segue ciclos. Para o ensino fundamental, o primeiro ciclo ocorreu no ano passado quando foi constituído o currículo e esse ano está sendo realizado o treinamento dos professores.

Segundo ele, a base estabelece um padrão de ensino a ser aplicado, mas dá liberdade para que estados e municípios trabalhem temas contemporâneos ou relacionados às realidades locais em complemento à base. O secretário destacou ainda que a base vai reduzir desigualdades no ensino.

Anteriormente não tinha um padrão das matérias a serem tratadas e quais os temas a serem tratados dentro de cada matéria. Agora, você unifica isso no Brasil como um todo, cada professor sabe que, no mínimo, aqueles temas devem se tratados e isso de Norte a Sul. E não só padrões em relação à matéria a ser dada, mas como essa matéria deve ser ministrada”, comentou o secretário.

E completou: “A gente universaliza o ensino. De outro lado a gente garante que todos terão o mesmo direito, a mesma atenção no Brasil como um todo de sorte a reduzir a desigualdade no país”.

A vice-diretora da escola Cora Coralina, Andrea Moura, também disse que a base vai reduzir a desigualdade no ensino, principalmente nas escolas rurais. “A expectativa da base nacional é reduzir as desigualdades no Brasil. Percebemos, principalmente em escolas rurais onde há uma grande rotatividade de alunos vindos das mais diversas localidades do Brasil, que não existia um currículo mínimo. As crianças que vinham nessa transição sofriam bastante”, explicou.

Base Comum

 

A BNCC foi aprovada em dezembro de 2017 pelo Conselho Nacional de Educação (CNE). Referência para a construção dos currículos de todas as escolas do país, foi elaborada com a participação de especialistas e estabelece como pilares 10 competências gerais que irão nortear o trabalho das escolas e dos professores em todos os anos e componentes curriculares da educação básica.