Discurso do Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante o Lançamento do Crédito Imobiliário com Taxa Fixa-Palácio do Planalto

​Palácio do Planalto, 20 de fevereiro de 2020



Fizeram uma comissão mista com sessenta parlamentares. eu fico muito feliz, que é sinal que existe na Câmara e Senado excelentes economistas. A gente espera que esse ano a gente conclua essa reforma. Vinte e oito anos dentro da Câmara e não se chegou a lugar nenhum.

Bem, meus senhores e minhas senhoras,

Ministros,

 

Depois de essa equipe econômica ter feito uso da palavra, eu  fico até um pouco inibido para falar alguma coisa, e tem na ponta esquerda lá ainda o Rubens Novaes, do Banco do Brasil, que não entrou em campo. Teria muito o que falar com toda certeza.

Mas o assunto aqui hoje é Caixa Econômica, e tem aqui praticamente a metade dos presentes são funcionários da nossa Caixa.

Eu perguntaria a vocês todos da Caixa: até primeiro de janeiro do ano passado, como eram as indicações para as diretorias e vice-presidência da Caixa?

Eu acho que vocês nunca sonharam em ter a possibilidade onde, um dia, o presidente fosse realmente da Caixa, fosse responsável por essas indicações.

Era uma verdadeira Arca de Noé, onde, em cada diretoria, vice-presidência tinha um  partido político pendurado ali. Não podia dar certo, não podia dar lucro, não podia ter planos ousados.

O presidente, na verdade, já que o Paulo não falou, eu posso falar, a  imprensa me adora, era uma rainha da Inglaterra. E o que nós queremos desde o começo, como dei a liberdade para todos eles, é que o seu o respectivo Ministério funcione. Hoje eu acho, tenho certeza, se perguntassem para vocês o nome dos vinte e dois ministros vocês acertariam mais da metade tranquilamente, porque começamos a nos orgulhar da política, há de acreditar que o Brasil pode dar certo.

Esse plano, mesmo,  é fruto do restabelecimento da confiança num Governo que não tinham, um Governo que, para parte da população, para quase toda imprensa, chegou desacreditado.

Para a imprensa, seria bom continuar os que sempre estiveram lá. Ele, como vimos aqui num dos slides do Pedro Guimarães não financia mais clube nenhum, nem o Flamengo, eu não financio mais a imprensa também.

Sigam o exemplo do governo, adotem o lema João 8:32, afinal de contas, isso deveria ser um carimbo na testa de cada jornalista. A verdade acima de tudo, e deixar de se comportar como um partido político de extrema esquerda.

O Brasil está dando certo, agradeço a Deus pela oportunidade, pela minha vida e por ter pessoas maravilhosas que se  voluntariaram para me ajudar a buscar um norte para a nossa nação.

Agradeço a grande parte da população que acreditou nisso, muitos até votaram porque eu era diferente dos outros. Em ser diferente, cada um pense o que bem entender. Sabia  que não seria fácil, sabia dos desafios, do que sofreria, mas uma coisa o meu coração me confortava, nós vamos fazer o possível e o impossível para trazer paz e felicidade ao nosso povo.

Estamos buscando fazer o melhor de si dando o melhor. Mudamos alguns  ministros durante esses quatorze meses, algumas peças foram trocadas do  tabuleiro e, como regra, o que fazemos dessa maneira é um aperfeiçoamento. Os que nos deixaram foram cumprir missões em outros locais. Como os Correios, que o ano retrasado deu um pequeno lucro depois de muita, de muito déficit, o ano passado já foi um lucro já substancial. Se bem que algumas instituições não serão privatizadas enquanto eu for presidente, mas os Correios caminham para a privatização. Até porque foram focos no passado de grandes escândalos e também é um monopólio que não pode ter prejuízo.

A própria Petrobras agora está anunciando um lucro recorde. Em grande parte, porque também não foi loteada politicamente. Se depender de mim, o Sergio Moro estaria desempregado, não teria o que fazer. Porque nós não daremos a oportunidade de se investigar corrupção em nosso governo. Pode até acontecer, mas no passado era: onde é que não pode acontecer? Vamos mudando, fazendo o possível, tendo muita humildade de conversar com todos antes de decisões. 

Como o Paulo Guedes, a questão da reforma administrativa. Está madura agora. Não podemos apresentar uma reforma e depois nós mesmo buscarmos deputados e senadores para que ela venha a ser corrigida. 

E, concluindo, já que o Paulo Guedes falou de pessoas humildes e, obviamente, Paulo, só é criticado quem tem virtude. Ninguém critica o perna-de-pau, que está acostumado a perder gols. Crítica o craque que perde um pênalti ou até mesmo quando ele faz o gol e não é muito bem batido.

Quando se falou em turismo, pessoas humildes viajar para fora do Brasil, meus parlamentares, se bem que eu não sou presidente da Câmara e nem do Senado. Meus amigos parlamentares, está lá um projeto, ou melhor, estamos na iminência de mandar um projeto para transformar a região da Baía de Angra, de interesse turístico. Coloquei nas minhas mídias sociais hoje um vídeo de uma tomada aérea da região. Poderíamos, todos nós, irmos para lá curtir o carnaval naquele paraíso, que não tem igual em lugar nenhum no mundo. Falta apenas, além de eu enviar meu projeto, continuar trabalhando junto à Câmara e ao Senado, para que seja aprovado.

Que nós temos que revogar um decreto. Olha aqui que eu estou falando aqui, revogar um decreto. Que, por ser decreto ambiental, tem que ser revogado por lei. Um absurdo. Mas, se fizermos isso, temos recursos de fora já garantido em uma dessas viagens, para que lá um complexo turístico seja instalado, que vai faturar mais do que Cancún, que está na casa, segundo informações que eu tive, posso estar equivocado, minha imprensa querida, mas é na casa de 12 bilhões de dólares por ano. Podemos faturar muito mais do que isso lá sem, Paulo Guedes, recurso público. E muitos vão ficar preso aqui, vai para um canto, ou aqui, para lá, até outros vão sair do Brasil, quem pode sair. E poderiam estar indo para a região da Baía de Angra.

O Brasil tem tudo para ser um País maravilhoso. Depende da coragem de alguns de nós e, quando falo alguns de nós, eu digo nós, esses alguns, somos privilegiados, Luis Carlos Heinze, porque estamos aqui no centro do poder. É apertar o botão na Câmara e no Senado, toca o barco para frente. Não temos que ter receio do nosso voto. Isso vem para o bem de todos.

E concluindo, então, quem podia um dia, quem podia pensar um dia, alguém falar em crédito imobiliário com taxa fixa. Meu pai morou em uns vinte imóveis de aluguel. Não precisava falar que ficou inadimplente, né, para mudar tanto assim. Hoje em dia, não teria esse problema. Também dentista prático, com ginásio incompleto e sete filhos com a mesma mulher, não era fácil. Hoje em dia, estaria bastante descomplicado, prezado Meyer Nigri, você que é um entusiasta das ações imobiliárias, espero que, mais do que espero, tenho certeza que dará certo.

Obrigado a equipe econômica. 

Obrigado Pedro Guimarães. 

Muito obrigado a todos e um bom carnaval para todo mundo aí.