Notícias

MEC EM AÇÃO

LIX Reunião de Ministros de Educação dos países do Mercosul foi realizada nesta quarta-feira (17)

O encontro proporcionou a troca de experiências entre os países participantes acerca dos desafios encontrados na pandemia de Covid-19 e da busca de soluções para amenizar as perdas no sistema educacional
Publicado em 17/11/2021 18h16
Colaboradores: Gabriela Gonçalves
Foto: Luis Fortes/MEC
Foto: Luis Fortes/MEC
Foto: Luis Fortes/MEC

Foi realizada, na manhã desta quarta-feira (17), a LIX Reunião de Ministros de Educação dos países do Mercado Comum do Sul (Mercosul). O encontro foi estabelecido com o intuito de possibilitar a troca de experiências entre os países participantes acerca dos desafios encontrados na pandemia de Covid-19 e da busca de soluções para amenizar as perdas no sistema educacional.

Participaram do evento o Ministro de Estado da Educação do Brasil, Milton Ribeiro; a assessora especial para Assuntos Internacionais do Ministério da Educação do Brasil, Débora Soares; o Ministro de Estado da Educação da Argentina, Jaime Perczyk; o Ministro de Estado da Educação da Paraguai, Juan Manuel Brunetti; o diretor de Educação do Uruguai, Gonzalo Baroni; o representante do Ministério de Estado da Educação do Chile, Lorenginis Berti Lorca; e o representante da Organização dos Estados Ibero-Americanos (OEI), Luis Scasso.

Ribeiro recepcionou as autoridades estrangeiras, demonstrando mais uma vez a importância do intercâmbio de experiências socioeducativas, nos contextos regional e internacional de qualificação profissional de competências para a vinculação de sistemas educativos com o mundo do trabalho.

“É uma honra conduzir a LIX Reunião de Ministros, no marco da Presidência Pro Tempore do Brasil, período em que celebramos os 30 anos de história e integração do Mercosul. Essa é uma excelente oportunidade para celebrarmos e também para buscarmos soluções vislumbrando superar os desafios impostos pela pandemia de Covid-19 no contexto da educação regional (...)”, afirmou Milton Ribeiro.

Neste segundo semestre de 2021, a Presidência Pro Tempore do Setor Educacional do Mercosul encontra-se sob responsabilidade do Brasil. Cabe destacar que, em 30 anos de história de investimento em integração, cooperação e desenvolvimento, o Mercosul foi se consolidando por meio da criação de setores por áreas. O Setor Educacional, por exemplo, foi criado com estrutura orgânica e conta com três níveis de atuação: políticas (objetivos estratégicos), técnicas (áreas e linhas de ação) e execução (elaboração e execução de projetos).

“Reconheço a importância e os resultados alcançados ao longo desses 30 anos de cooperação, dentre os quais cito os mais de 350 cursos acreditados no âmbito do Sistema Arcu-Sul, o que significa conferir tramitação simplificada para a revalidação do diploma de estudantes nos países participantes desse sistema (...)”, disse Ribeiro.

Diante do quadro de insegurança causado pela pandemia de Covid-19, desafios foram postos para toda a sociedade brasileira, tema que também foi abordado durante a reunião. Na educação, o efeito tempestivo de suspensão das aulas fez com que professores e estudantes tivessem que se ajustar rapidamente às novas formas de ensinar e aprender. Nesse contexto, o uso das tecnologias e as aulas remotas emergiram como alternativas para dar seguimento às atividades escolares.

Houve, ainda, um movimento de retomada das aulas presenciais, justificado pela importância da educação escolar para o desenvolvimento intelectual, social e emocional das crianças, dos jovens e das famílias. Para isto, foi necessário preparar a comunidade escolar para novas práticas, tendo como base as perspectivas científicas sobre os cuidados de prevenção, promoção e reabilitação em saúde.

O MEC, com base nas orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e do Fundo de Emergência Internacional das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), acatou o entendimento de que a educação deve ser considerada um serviço essencial para a sociedade.

Assim, com base na decisão das autoridades sanitárias locais, as aulas presenciais foram retomadas, de forma gradativa, observadas as devidas cautelas à segurança sanitária, avaliados os riscos e níveis locais de transmissão do vírus, assim como a capacidade escolar de adaptação segura.

No processo de retorno gradual às atividades presenciais, as instituições escolares foram orientadas a realizar o acolhimento e a reintegração social dos professores, estudantes e suas famílias, como forma de superar os impactos psicológicos do longo período de isolamento social.

Esses e outros temas foram abordados durante o evento. Por fim, Milton Ribeiro afirmou que “poderia citar muitos outros programas e ações sob os amparos do Ministério da Educação que visam superar os desafios históricos e os efeitos causados pela pandemia (...)”, e convidou os representantes de outros países a conhecerem, pessoalmente, os programas e ações da Educação vigentes no Brasil.

Assessoria de Comunicação Social do MEC com informações da Assessoria Internacional