Notícias

MMFDH participa de diálogo de alto nível da OCDE sobre violência doméstica

Publicado em 10/02/2020 16h14
WhatsApp Image 2020-02-08 at 10.16.15.jpeg

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) participou, nos dias 5 e 6 de fevereiro, da Conferência de Alto Nível sobre Violência Doméstica contra as Mulheres, promovido pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), em Paris.

O evento foi aberto pelo Secretário-Geral da OCDE, Angel Gurría, que afirmou de forma enfática ser inadmissível a existência da violência doméstica no mundo, convocando os países para solucionar o problema. O MMFDH foi representado pela Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres (SNPM) e pela Secretaria Nacional da Família (SNF).

O diálogo foi dividido em 14 painéis, conduzidos por 45 especialistas, que abordaram questões como capacitação continuada, a importância de dados integrados, autonomia econômica, educação nas escolas, o custo da violência doméstica para os países, entre outros pontos relevantes. O evento contou ainda, com relatos de pessoas que sofreram violência e transformaram a situação negativa em ativismo ao criarem fundações como a Reigate and Banstead Aid Women’s Refuge e a CoCo Awareness.

Ações no Brasil

A missão oportunizou, ainda, uma reunião exclusiva entre os membros do Governo brasileiro e o alto escalão da OCDE. Durante o encontro, a titular da SNPM, Cristiane Britto, apresentou de forma sucinta os trabalhos que estão sendo produzidos pela pasta. “Estamos trabalhando na construção de um plano de combate ao feminicídio, que envolve os agressores e o fortalecimento da rede. Também estamos atuando para ampliar o número das Casas da Mulher Brasileira (CMBs)”.

A secretária da Família, Angela Gandra, também participou da missão com o objetivo de fazer o recorte da temática sob a perspectiva da família.

 A participação do MMFDH faz parte das ações do Governo Federal para incluir o Brasil entre os países membros da OCDE. A organização econômica reúne 36 membros e visa o progresso econômico.

Reportar erro