Notícias

Com coordenação do MDH, Grupo de Trabalho Araguaia realiza expedição ao Pará e Tocantins

Publicado em 11/09/2018 17h55 Atualizado em 11/09/2018 18h16

Nesta terça-feira (11), o Ministério dos Direitos Humanos (MDH), por meio da Coordenação-Geral de Direito à Memória e à Verdade e Apoio à Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos, em parceria com os demais Ministérios que compõem o Grupo de Trabalho Araguaia (GTA), deu início à primeira expedição do ano, no âmbito desse grupo, à região do Araguaia. O GTA tem como finalidade promover as atividades necessárias à localização, recolhimento e identificação dos restos mortais dos desaparecidos políticos na Guerrilha do Araguaia (1972-1974, no Pará e Tocantins).

A equipe é composta pelo Ministério dos Direitos Humanos – responsável pela coordenação da Equipe de Investigação, Ministério da Defesa – que coordena a Equipe de Logística, e Ministérios da Justiça e da Segurança Pública – a cargo da Equipe de Perícia.

Os trabalhos se estenderão até o fim da próxima semana. Entre as atividades previstas, estão a escavação de pontos em que se acredita haver remanescentes ósseos que podem guardar relação com a Guerrilha do Araguaia, bem como a instrução de outros locais, que serão objeto de ações posteriores.

Comissão Especial

No período de 16 a 20 de julho de 2018, foi realizada uma expedição à região pela Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos (CEMDP), vinculada ao MDH. Essa missão anterior ocorreu fora do contexto do GTA, uma vez que a portaria de continuidade dos trabalhos desse Grupo ainda não estava publicada. Com a edição de Portaria Interministerial no dia 8 de agosto, as buscas na região passam a ser assumidas pelos Ministérios que compõem o GTA, podendo a CEMDP focar em outras frentes de buscas.

Reportar erro