Notícias

brinquedo seguro

Inmetro alerta sobre a segurança de brinquedos vendidos on-line

A iniciativa faz parte de campanha mundial, liderada pela OCDE, para conscientizar e dar recomendações a lojas virtuais e consumidores sobre a segurança dos produtos
Publicado em 20/11/2020 12h54 Atualizado em 23/11/2020 10h04
imagemocde.png

Brinquedo seguro

O Inmetro está participando de uma ação global pela segurança de brinquedos vendidos on-line. Coordenada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a campanha foi lançada hoje (20 de novembro) e envolve diversos países membros da Organização. Ao longo das próximas semanas, serão divulgados materiais com recomendações para ofertas e aquisições mais seguras no e-commerce. As informações podem ser acessadas no site do Inmetro e nas mídias sociais, nas quais serão usadas a hashtag #brinquedoseguro.

O objetivo é orientar os consumidores para que possam fazer escolhas seguras e saibam como proceder, caso tenham comprado um brinquedo não conforme. Além disso, também se espera aumentar a compreensão dos diversos atores que atuam no comércio eletrônico em relação à importância de vender apenas brinquedos seguros e de remover os inseguros imediatamente de seus sites.

O crescimento do comércio eletrônico em todo mundo, impulsionado pelo distanciamento social; as recomendações de campanhas anteriores - #ProdutoSeguroOnline (2018) #AtendaAoRecall (2019) - e os elevados registros de risco de segurança e de recall de brinquedos contribuiram para a escolha do tema da campanha deste ano. De 2017 a 2019, brinquedos e jogos estavam entre os três principais grupos de produtos recolhidos em todo o mundo.


Cenário brasileiro

  • O e-commerce registrou crescimento de 47% no primeiro semestre deste ano, segundo pesquisa da Ebit/Nielsen, a maior alta em 20 anos.

  • Os dados do Sistema Inmetro de Monitoramento de Acidentes de Consumo (Sinmac) mostram que brinquedo é o segundo grupo de produtos com mais relatos de acidentes registrados em 2020 (9,2%)

  • Em relação aos recalls, de acordo com as estatísticas de campanhas, publicadas no site do Ministério da Justiça, produtos infantis correspondem a 9% dos chamamentos.

Considerando os dados estatísiticos e a proximidade de datas como Black Friday e Natal, que, tradicionalmente, têm maior movimentação de compras, as dicas da campanha ficam ainda mais valiosas.


Vendedor do e-commerce:
Vende brinquedos on-line? Pense na segurança!

  • Ajude os consumidores fornecendo o máximo de informações sobre o brinquedo e sobre seu site: disponibilize todas as informações e alertas de segurança de forma clara e acessível sobre o brinquedo que você oferece on-line. Forneça também seu contato para facilitar a comunicação em caso de problemas ou dúvidas relacionadas à segurança dos produtos.

  • Siga os regulamentos locais que se aplicam aos brinquedos que você vende.

  • Fique atento aos alertas de recalls para não ofertar brinquedos inseguros. Envolva-se com fornecedores, plataformas on-line e consumidores para garantir que os brinquedos recolhidos e proibidos sejam imediatamente removidos do seu site.

Dica de bases de dados importante para quem busca informação sobre Recall: no Brasil: Sistema Nacional de Alertas de Recall (SNAR), do Ministério da Justiça -MJ.

Bases de dados internacionais:  

Portal Global de Recalls da OCDE; Rapex e Sistema Interamericano de Alertas Rápidos (SIAR)

 

Consumidor...Vai comprar brinquedos on-line? Fique atento à segurança!

Antes da Compra

  • Verifique se o produto que pretende adquirir foi objeto de recall
    Você pode pesquisar, no Sistema Nacional de Alertas de Recall (SNAR) do MJ e em Bases de dados internacionais: Portal Global de Recalls da OCDE; Rapex e Sistema Interamericano de Alertas Rápidos (SIAR), que o Inmetro faz parte, são bases de dados importante sobre Recall.

  • Leia todas as informações e as instruções de segurança. Verifique se tem o selo do Inmetro e o logotipo do organismo de certificação; faixa etária a que se destina e informações sobre o fabricante do produto.

  • Fique atento às informações sobre o site que está comprando. Confira se há dados de contato para caso de dúvidas ou problemas e prefira os que já conhece e confia.

  • Se encontrar algum problema, relate! Informe problemas relacionados à segurança de produtos ao revendedor on-line ou à plataforma digital. Entre em contato com o Procon de sua região e com o Inmetro, por meio da Ouvidoria (telefone 0800 285 1818, de segunda a sexta-feira, das 9 h às 17 h, ou formulário http://www.gov.br/inmetro/pt-br/ouvidoria/ouvidoria.asp).

Depois de comprar

  • Dependendo da idade do seu filho, inspecione se o brinquedo chegou na sua casa em perfeito estado. Certifique-se de que:

- Não há peças pequenas soltas, especialmente se crianças menores de 3 anos estiverem na casa; não possui arestas ou pontas afiadas e cordões longos que podem se enrolar no pescoço de uma criança.

- Se há compartimentos de bateria soltos, quebrados ou fáceis de abrir.

  • Retire o brinquedo da embalagem antes de entregá-lo à criança. Caixas e sacos plásticos devem ser retirados do alcance da criança, a fim de prevenir acidentes com grampos e similares e, até mesmo, o risco de sufocamento.

  • Leia com atenção as instruções de uso

  • Fique atento às atualizações de segurança do brinquedo. Pesquise nas mesmas bases de dados citadas anteriormente e veja se há possibilidade de se cadastrar para receber alertas sobre recall do produto que adquiriu.

E lembrem-se que toda brincadeira deve ser sempre supervisionada por adultos!

Acesse aqui o site da Campanha: http://www.oecd.org/digital/consumer/safe-toys-online/