EspCie-A

Espaço de Pesquisa e Ensino de Ciências Aplicadas
Publicado em 19/11/2021 14h20 Atualizado em 19/11/2021 14h47

A Necessidade e a experiência adquirida em trabalhos envolvendo cursos de Extensão e Divulgação Científica realizado entre a Universidade Federal do Rio de janeiro (UFRJ) e Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES) demonstrou a necessidade do desenvolvimento do  público surdo na área Científica.  Em Outubro de 2018, o  Espaço de Pesquisa e Ensino de Ciências Aplicadas  ESPCIE-A teve a sua criação e  regulamentação conforme decisão da Quinta Reunião Ordinária do Décimo–Primeiro Conselho Diretor, realizada em 16 de Outubro de 2018.

O Núcleo atua no DEBASI com trabalhos desenvolvidos na Educação Infantil, Ensino Fundamental 1, 2, ensino Médio e em atividades pontuais na disciplina de Ensino de Ciências no Curso de Pedagogia no Departamento de Ensino Superior- DESU.  Além das atividades de Ensino, o ESPCIE-A trabalha com alunos no contraturno, através de bolsas de iniciação científica para alunos que queiram desenvolver iniciação científica em atividades de pesquisa no laboratório que vem sendo montado desde 2017.  Paralelo a essas atividades, o ESPCIE-A oferece Cursos de Extensão à Professores e funcionários da comunidade do INES e  cursos abertos a comunidade Externa. O Espaço deverá articular - envolvimento da comunidade acadêmica na área científica e cultural, mediante a articulação contínua com diversos Setores do INES . Dentre os objetivos estabelecidos pelo setor para a realização desse trabalho, citamos o seguintes pontos: - trabalhar com pesquisa, ensino e extensão –oferecer cursos e atividades formativas para Educação Infantil, Ensino Fundamental, Médio, Graduação e Pós-Graduação Lato Sensu, cursos de Especialização, sequenciais, além de Assessorias Técnicas em outros Estados; - qualificar docentes e técnicos-administrativos para atuarem na área da Educação voltada ao Ensino de Ciências;- promover o estudo permanente das disposições legais a cerca da Educação Científica, tendo em vista a adoção de medidas para as adequações que se fizerem necessárias;-  participar como membro atuante das reuniões da Rede Nacional de Ensino de Ciências Leopoldo De Meis (anualmente) -realizar entrevistas, questionários e/ou reuniões com os professores envolvidos diretamente com os alunos do DEBASI, tendo em vista a análise dos resultados obtidos pelas disciplinas na área de Ciências, para futura Avaliação do Processo Acadêmico e propor alternativas para as fragilidades detectadas e as possibilidades de apoio do EsPCie- A/INES; Manter a interlocução com representantes de órgãos: Ministério da Educação, agências e instituições interessadas na promoção do Ensino de Ciências para Jovens Surdos; dentre outros objetivos que está detalhado na portaria de criação do setor e no Plano Político Pedagógicos da Instituição.

Vinculado ao Espaço de Pesquisa e Ensino de Ciências Aplicadas, está o projeto da Galeria de Arte, Ciência e Tecnologia - GACT, coordenado pela professora Stella Savelli.

 A criação da Galeria e Arte, Ciência e Tecnologia do INES - GACT - nasceu ao percebermos a necessidade de aproximar a comunidade do INES às iniciativas científicas/culturais e vem se consolidando como um espaço de ensino, pesquisa e extensão. A Galeria é a base estrutural e aplicada do projeto de pesquisa “Acessibilidade científico /cultural com e para surdos em museus, espaços culturais e educacionais”, iniciado em 2017 e coordenado pelas professoras Stella Savelli e Vanessa Pinheiro, com a participação de alunos do Ensino Médio do INES contemplados com bolsa de pré-iniciação científica do projeto Jovens Talentos da Faperj. Os alunos/bolsistas atuam na pesquisa, organização e mediação das exposições tendo como objeto de estudo e prática o conceito de “acessibilidade”.  A Galeria propicia um ambiente transdisciplinar que dialoga com diferentes campos do saber, criando desta forma um potencial espaço de divulgação científica onde a troca com o público se faz naturalmente e de forma afetiva, permitindo aos nossos alunos/bolsistas exercitarem um conceito importante e bastante discutido atualmente que é a “acessibilidade atitudinal”.

A GACT vem realizando as exposições em parceria com diversos Museus e Centros Culturais e vem recebendo visitações técnicas de professores e alunos, surdos e ouvintes de diversas Universidades e Instituições, sendo inclusive objeto de estudo de pós graduação nas áreas de museologia e divulgação científica.  Dispõe de um salão para exposições temporárias, uma sala de aula, uma pequena sala de robótica e uma sala carinhosamente denominada Sala Portinari onde expõe permanentemente reproduções de obras de um dos mais importantes artistas brasileiros, sob o tema “Portinari: arte e meio ambiente” disponíveis em Libras pelo Projeto Portinari Acessível desenvolvido em parceria com o educativo do Projeto Portinari.

            Na sala de aula também são realizadas oficinas para nossos alunos ministradas por diferentes profissionais de diversas áreas do conhecimento, abordando temas referentes à exposição em curso. A sala de robótica é um espaço que visa dar noções de acessibilidade tecnológica, ainda pouco explorada na Instituição. O contato com os avanços tecnológicos inseridos num contexto científico/cultural estimula a apreciação da arte e promove maior visibilidade à diversas profissões que estão envolvidas em toda essa dinâmica, ampliando as possibilidades de mercado profissional de nossos alunos.

Gostaríamos de ressaltar que, através das atividades desenvolvidas no projeto de pré iniciação científica na Galeria, nossos alunos conquistaram o primeiro lugar na área de Humanas nas XVIII e XX Jornadas Jovens Talentos para a Ciência, 2017 e 2019 da Faperj, respectivamente. Motivo que nos incentiva a dar continuidade e ampliá-lo cada vez mais.

            A GACT está localizada no subsolo do INES, próximo ao pátio do refeitório e está subordinada ao Departamento de Educação Básica – DEBASI.

Contato: inesgact2018@gmail.com  -  stellasavelli@gmail.com