Notícias

INSTITUCIONAL

Inep participa de reunião da Frente Parlamentar de Medicina

Encontro debateu qualidade dos cursos de medicina e desempenho dos médicos no Brasil. Presidente Danilo Dupas apresentou dados do Enade e do Revalida
Publicado em 05/10/2021 19h55
Colaboradores: Larita Arêa

Na tarde desta terça-feira, 5 de outubro, o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Danilo Dupas, participou da reunião conjunta entre Ministério da Educação (MEC), Frente Parlamentar Mista da Medicina (FPMed) e entidades médicas. O encontro teve como objetivo debater a aplicação do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida) e a moratória das escolas médicas, com foco no desempenho da medicina de qualidade como forma de prezar pela saúde da população.

A preocupação da FPMed e das entidades médicas é sobre a qualidade dos cursos de medicina, bem como o potencial dos médicos que exercem a profissão no Brasil. Nesse contexto, o presidente do Inep apresentou os dados referentes aos últimos resultados do Revalida e o cronograma das próximas aplicações do exame, que serão realizadas semestralmente, conforme prevê a legislação (Lei n.º 13.959/2019). Outro tema também abordado foram os ciclos avaliativos dos cursos de medicina no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade).

Dupas destacou que, entre os anos de 2013 e 2019, houve um aumento de cursos e instituições de educação superior na área de medicina. Contudo, pontuou que “a maior preocupação do Inep e do MEC são as notas desses cursos”.

O presidente do Inep explicou que tem estudado, internamente, formas de acompanhar, mais de perto, as instituições, de modo a ter um diagnóstico prévio de acompanhamento do aluno da educação superior. Um grupo de trabalho foi estabelecido com a Comissão Própria de Avaliação (CPA), para que o Inep consiga trabalhar com análise preditiva e inteligência artificial na oferta de mão de obra qualificada para o País, com diagnóstico por região. “Nós acreditamos que, por meio da CPA, podemos criar uma telemetria semestral de acompanhamento de qualidade de ensino, uma avaliação global, envolvendo os stakeholders para sentir como esses cursos vão chegar no Enade”, explicou.

Na ocasião, Dupas colocou o Inep à disposição da frente parlamentar e das entidades médicas para tratar de alinhamentos referentes ao tema, destacando que a qualidade dos cursos e dos médicos formados no Brasil — assim como dos que estão fazendo o Revalida — são uma preocupação do Inep e do MEC. “Quando o senhor ministro Milton Ribeiro pediu para eu assumir o Inep, ele solicitou maior transparência, celeridade e inteligência com as informações. É nisso que estamos trabalhando”, concluiu.

 

Assessoria de Comunicação Social do Inep

Educação e Pesquisa