Notícias

Reunião Ministerial Brasil-Finlândia sobre Segurança Cibernética Culmina com Assinatura de Memorando de Cooperação

Publicado em 10/11/2021 11h14 Atualizado em 10/11/2021 15h06

Em 9/11/2021, o Ministro de Estado Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI/PR), General Augusto Heleno, recebeu em seu gabinete, a pedido, comitiva do governo da Finlândia liderada pelo ministro de Desenvolvimento e Comércio Exterior, Ville Skinnari.

As autoridades abordaram diferentes aspectos das relações fino-brasileiras, em especial as ameaças atuais à segurança cibernética e a tecnologia “5G” em contexto geopolítico de crescentes tensões também no ambiente virtual. O ministro Skinarri apresentou elementos da Estratégia Nacional de Segurança Cibernética da Finlândia, ao passo que o General Augusto Heleno aludiu a iniciativas do GSI/PR nesse setor, como a Estratégia Nacional de Segurança Cibernética.

2 Brasil Finlândia.jpg

Ao fim da audiência, os ministros celebraram Memorando de Entendimento sobre Cooperação na Área de Segurança Cibernética, que estabelece as bases para diferentes inciativas bilaterais, como a troca de informações sobre incidentes no ambiente virtual, intercâmbio de experiências na formulação de políticas públicas e regulamentos, além de ações de capacitação de técnicos, troca de conhecimentos entre especialistas e conscientização da sociedade sobre riscos “online”.

Brasil e Finlândia têm mantido vínculos cordiais e pragmáticos desde o estabelecimento formal das relações diplomáticas em 1929. Na agenda bilateral, predominam tradicionalmente temas positivos e há interesse mútuo em expandir a cooperação em áreas estratégicas. Ambos os países compartilham preocupações com ataques cibernéticos e possíveis interferências em processos eleitorais.

A economia finlandesa possui notável característica inovadora. A Universidade de Oulu, por exemplo, tem sediado discussões sobre padrões de telecomunicações para 2030 (tecnologia “6G”), que contam com a participação de pesquisadores brasileiros. O Brasil, por sua vez, tem feito grandes esforços para ampliar a segurança no espaço cibernético, o que permitiu ao país avançar 53 posições na mais recente edição do Índice Global de Segurança Cibernética elaborado anualmente pela União Internacional de Telecomunicações, tornando-se, segundo aquela agência da ONU, o 3º país das Américas com mais segurança digital e o 18º no mundo.