Notícias

SAÚDE DO SERVIDOR

Desafio de Inovação busca soluções para identificar riscos relacionados à saúde mental de servidores públicos

Propostas podem ser enviadas até 22 de novembro e concorrem a premiações de R$ 50 mil a R$ 20 mil
Publicado em 12/11/2020 19h16 Atualizado em 20/11/2020 11h16

A Fundacentro, a Escola Nacional de Administração Pública (Enap) e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) lançam um desafio sobre saúde mental do trabalhador no serviço público. Os participantes podem enviar propostas até 22 de novembro e concorrer a prêmios de R$ 50 mil para o primeiro colocado, R$ 30 mil para o segundo e R$ 20 mil para o terceiro.

Lives preparatórias

Transmissões ao vivo no canal da Fundacentro no YouTube vão ajudar as pessoas a se prepararem para o desafio. A primeira, para explicar a jornada que o proponente percorrerá, ocorre nesta sexta-feira (13), às 18h30, e terá a presença dos presidentes da Fundacentro, Felipe Portela, e da Enap, Diogo Costa, e da conselheira do CNJ, Flávia Pessoa. Assista neste link ou pelo facebook.

Estão previstas outras cinco lives com temas diretamente ligados ao desafio lançado pela Fundacentro e as entidades parceiras, coordenadas pela diretora de Pesquisa Aplicada, Erika Benevides. Em 16 de novembro, às 18h30, o debate vai mostrar um panorama geral sobre a saúde mental do trabalhador, com a participação do pesquisador da Fundacentro José Marçal e do CEO da startup Bem Comunidade saúde e medicina preventiva, Paulo Lira.

A detecção de riscos à saúde mental no serviço público é o assunto das transmissões nos dias 17 e 18, também às 18h30. Na primeira live sobre o tema, estarão Ana Vazquez, professora e pró-reitora de Gestão com Pessoas da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Roberto Moraes Cruz, professor e pesquisador do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e Welmer Carneiro, médico do trabalho e gerente de Estratégias de Saúde Ocupacional na D`Or Consultoria e D'Or Soluções. Na segunda, os palestrantes serão Cláudio Brunoro, engenheiro de produção e responsável pelo Subcomitê Técnico da IEA - Theoretical Perspectives on Human Factors and Sustainable Development, e Laerte Sznelwar, médico e professor associado do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP).

Sistemas, dados e indicadores serão discutidos em 19 de novembro, às 18h30, com a presença de Gabriela Soares, diretora executiva do Departamento de Pesquisas Judiciárias do CNJ; André Brunoni, professor associado da Faculdade de Medicina da USP e diretor do Serviço Interdisciplinar de Neuromodulação do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas; Mirian Bittencourt, coordenadora-geral de Informações Gerenciais do Ministério da Economia; e da diretora Erika Benevides.

A última live está prevista para 20 de novembro, às 18h30, e apresentará experiências internacionais relacionadas à questão da saúde mental, além de um espaço para tirar dúvidas sobre a submissão de propostas. O debate contará com a presença de Liliana Cunha, professora da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação e da Faculdade de Engenharia, na área de psicologia do trabalho, da Universidade do Porto; Camila Medeiros, coordenadora-geral no GNova/Enap e responsável pela iniciativa de inovação aberta gov.br/desafios; Keicielle Schimidt de Oliveira, gestora de projetos na iniciativa de inovação aberta gov.br/desafios; e Erika Benevides.

Critérios

Podem participar do desafio empresas, negócios de impacto, entidades privadas sem fins lucrativos, Instituições de Pesquisa Científica e Tecnológica (ICTs) públicas e privadas e cidadãos brasileiros e estrangeiros em situação regular no país, a partir de 18 anos de idade, individualmente ou em grupo. Acesse o edital e o formulário de submissão da primeira fase.

Na página do desafio, é possível consultar dados sobre saúde mental no trabalho, leis e decretos relevantes, informações sobre saúde mental da Finlândia e da França e compilação de outros materiais. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 264 milhões de pessoas sofrem depressão e ansiedade no trabalho, o que causa uma perda de US$ 1 trilhão/ano por redução de produtividade na economia mundial. A mesma pesquisa afirma que, para cada US$ 1 investido em ações para melhora na saúde mental dos trabalhadores, há o ganho de US$ 4 em aumento da produtividade.

O resultado preliminar da primeira fase será divulgado em 26 de novembro, quando será aberto período para recursos, e o resultado final desta fase ocorre até 1° de dezembro. A segunda fase prevê o envio de protótipos, avaliação e possibilidade de recurso com a publicação do resultado final até 23/12/2020.

Participe da Comunidade de Dinâmicas do Desafio

A Comunidade de Dinâmica do Desafio é um espaço de discussão, que busca equipes multidisciplinares. Convidamos profissionais de todas as áreas, especialmente programadores, desenvolvedores, cientistas de dados e estatísticos.

Leia também a matéria publicada pela Enap.