Notícias

Dia Mundial da Prematuridade

Novembro Roxo traz alerta sobre necessidade de cuidados especiais com prematuros

O HU-UFSC é referência em boas práticas relacionadas ao cuidado com o recém-nascido, com a gestante e a família
Publicado em 17/11/2020 08h59 Atualizado em 17/11/2020 17h05

O mês de novembro, conhecido como Novembro Roxo, é marcado pelo Dia Mundial da Prematuridade, dia 17 e, neste ano, esta campanha tem como tema a frase “Juntos pelos prematuros, cuidando do futuro”. Para marcar a data, instituições de saúde de todo o mundo realizam atividades científicas e comemorativas, reforçando a sensibilização para a prevenção da prematuridade e para os cuidados especiais destes bebês prematuros.

De acordo com a psicóloga do Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago (HU-UFSC), Zaira Aparecida Oliveira Custódio, o tema deste ano remete diretamente à importância destes cuidados desde o primeiro momento. “O tema alerta para a importância das boas práticas no cuidado neonatal com vistas a neuroproteção destas crianças promovendo a redução dos danos no desenvolvimento. Sabemos que quanto menor a idade gestacional e o peso ao nascer, maior é o risco de problemas desenvolvimentais e, por isso, maior a necessidade de prestar uma assistência humanizada e de qualidade ao recém-nascido e sua família”, disse a psicologia, que é coordenara do Centro Nacional de Referência do Método Canguru HU-UFSC.

O Método Canguru consiste num conjunto de boas práticas e representa um tipo de assistência neonatal que estimula o desenvolvimento e ajuda na recuperação de bebês de baixo peso e prematuros. Prematuro é toda criança que nasce com menos de 37 semanas e o HU-UFSC é um dos centros nacionais de referência neste método para o Ministério da Saúde.

Segundo Carolina Junges, chefe da Unidade de Cuidados Intensivos e Semi Intensivos Neonatais, a filosofia de assistência da maternidade do HU é baseada nas boas práticas do cuidado com o recém-nascido, a gestante e a família, também propostas pelo Método Canguru. Além disso, relembra a importância dos cursos de sensibilização e capacitação para o método, realizados anualmente e direcionados aos profissionais que atuam na área neonatal.

Quem passou por todos estes cuidados foi Déborah Patrícia Nunes, que teve três filhas no HU em 2001: Isabela, Isadora e Iasmin. “Foi assustador quando eu soube que teria prematuras, mas eu fiz acompanhamento de gravidez de risco no HU e toda a equipe cuidou muito bem de mim até eu ganhar as meninas, que também tiveram toda assistência e foram acompanhadas até os dois anos”, disse Déborah. Hoje, as filhas de Déborah já têm 19 anos e estão bem de saúde, graças a todos os cuidados que receberam na infância.

A programação do Novembro Roxo no HU começou no dia 3, com o lançamento de um painel com os dez passos do cuidado neonatal e um texto explicando estes passos, que consistem na Estratégia QualiNEO e realização de atividades científicas internas sobre a Método Canguru. No dia 13, foi realizada uma webconferência sobre as boas práticas de prevenção e proteção da prematuridade.

Para o dia 17 de novembro, Dia da Prematuridade, está previsto um encontro com as mães que estão na Unidade Neonatal do HU-UFSC. Na quinta-feira (19/11), será realizada uma reunião da equipe multiprofissional da Unidade Neonatal e, de 23 a 27 de novembro, uma oficina de sensibilização com as equipes de plantão da unidade.

 

Unidade de Comunicação Social HU-UFSC.