Notícias

Dezembro Laranja: campanha de combate e prevenção ao câncer de Pele

Por causa da pandemia do novo coronavírus, o atendimento nacional gratuito para prevenção e diagnóstico do câncer de pele não acontecerá este ano.
Publicado em 04/12/2020 17h19 Atualizado em 16/12/2020 13h55
pagina.jpg

Com o slogan “Câncer de Pele é Coisa Séria”, a Sociedade Brasileira de Dermatologia realiza a campanha de combate ao câncer de pele, Dezembro Laranja, que visa alertar a população sobre os riscos da doença e a importância da prevenção desde a infância.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a doença corresponde a 27% de todos os tumores malignos no país, sendo os carcinomas basocelular e espinocelular (não melanoma) responsáveis por 177 mil novos casos da doença por ano. Já o câncer de pele melanoma tem 8,4 mil casos novos anualmente.

Para a chefe do serviço de Dermatologia do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU), Renata Janones, o diagnóstico precoce é fundamental para um tratamento eficaz. “Quanto mais cedo o diagnóstico, mais chances de cura. Os tipos de câncer não melanoma, que correspondem, aproximadamente, 90% dos cânceres de pele, têm uma chance de cura maior que 90% quando diagnosticados precocemente. Este diagnóstico só é possível com o autoexame da pele regularmente e visita ao dermatologista uma vez por ano, principalmente, para as pessoas com mais de 40 anos, de pele, cabelos e olhos claros e com histórico pessoal ou familiar de câncer de pele”, ressalta.

Os especialistas destacam também a importância da prevenção e orientam evitar a exposição excessiva ao sol e usar filtro solar mesmo em dias nublados. O uso de boné, chapéu e óculos escuro também é uma forma de se proteger. Bebês, a partir dos seis meses de vida, e crianças também devem estar sempre protegidos do sol.

No Serviço Dermatologia do HC-UFU, são diagnosticados e tratados por ano, cerca de 400 casos de câncer de pele. “Oferecemos todo suporte para estes pacientes desde o diagnóstico clínico, biopsias, cirurgias e terapias complementares. Atuamos em conjunto com equipes de outras especialidades do HC-UFU como  Cirurgia Plástica, Cirurgia de Cabeça e Pescoço e Oncologia para realizar o tratamento necessário”, afirma Janones.

Saiba mais sobre os tipos de câncer de pele:

O câncer de pele é o crescimento anormal e descontrolado de células da epiderme. Os tipos mais comuns são:

Carcinoma basocelular – É o câncer de pele mais frequente na população, correspondendo a cerca de 70% dos casos. Manifesta-se por lesões elevadas peroladas, brilhantes ou escurecidas que crescem lentamente e sangram com facilidade.

Carcinoma espinocelular – É o segundo tipo de câncer de pele de maior incidência. Ele equivale a mais ou menos 20% dos casos da doença. É caracterizado  por lesões verrucosas ou feridas que não cicatrizam. Geralmente, causam dor e possuem sangramentos.

Câncer de pele melanoma – Apesar de corresponder a menos de 5% dos casos, é o mais grave, pois pode provocar metástase rapidamente – espalhamento do tumor para outros órgãos do corpo humano – e levar à morte. Apresenta pintas ou manchas escuras que crescem e mudam de cor e formato rápido. As lesões também podem vir acompanhadas de sangramento.

Assessoria de comunicação do HC-UFU com informações da SBD.