Notícias

PANDEMIA

HULW orienta sobre funcionamento da regulação de leitos para covid-19 na instituição

Hospital dispõe de 15 leitos para enfermaria e 12 para UTI, localizados na Ala Covid-19
Publicado em 14/04/2021 16h03 Atualizado em 14/04/2021 16h15
Leitos para pacientes com covid-19

Regulação de leitos para covid-19 é feita pelo governo do Estado

Passado mais de um ano de pandemia de covid-19, muita gente ainda se confunde em relação a como funciona a regulação de leitos para tratamento da doença na Paraíba. A dúvida cresce quando alguém da família está doente e precisa ser internado. Será que pode levar diretamente ao Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW-UFPB)? Será que precisa passar antes por uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA)? Será que o próprio HULW define quem tem direito a leito?  São muitas as perguntas que chegam ao hospital-escola da UFPB, e sempre surgem novas incertezas.

Imagine esta situação: um funcionário do Hospital Universitário Lauro Wanderley tem um parente diagnosticado com covid-19 que precisa de internação. Será que esse familiar pode ter prioridade? Não. A resposta, simples e direta, parte do Setor de Regulação e Avaliação em Saúde do HULW. 

“Todos os pacientes que recebemos para tratamento contra a covid-19 são regulados pelo governo do Estado da Paraíba. O HULW oferta as vagas para a Regulação estadual, e a competência para gerir esses pacientes é da Secretaria de Saúde do Estado, por meio do Centro Estadual de Regulação para Covid-19, criado em março de 2020. Nós, no Lauro Wanderley, funcionamos como uma retaguarda para a covid, tanto na parte de enfermaria, quanto na parte de UTI”, explica Osmar Araújo Júnior, chefe do Setor de Regulação e Avaliação em Saúde do HULW. 

Osmar Júnior reforça que, mesmo como gestor do Setor de Regulação do HULW, não tem competência para direcionar nenhum paciente, pois o gerenciamento de vagas parte “somente e unicamente” da Regulação estadual. “É o Centro de Regulação quem possui a lista e a fila de pacientes, que é classificada conforme a gravidade do quadro clínico. Aqui no HU, todos os dias fazemos o censo dos nossos leitos e encaminhamos nossa disponibilidade de vagas ao Estado”, afirma. Na Regulação estadual, acrescenta, é feita a triagem e o dimensionamento de vagas. Conforme as classificações, serão direcionados pacientes aos respectivos leitos do Lauro Wanderley: seja de UTI, seja de enfermaria.

O chefe da Regulação do HULW também fez questão de lembrar que o hospital não é porta-aberta para pacientes contaminados pelo coronavírus. Ou seja, a pessoa que está doente não pode procurar diretamente a instituição. “Todo paciente com covid-19 tem de ser regulado. Para isso, primeiramente, ele precisa estar em uma unidade de saúde, seja pública ou particular. Nas públicas, nós temos as UPAs, que recebem os pacientes e, quando detectam casos de covid-19, fazem o encaminhamento da solicitação de vagas ao Estado, caso seja caso de internação”, afirma Osmar Júnior.

Para o tratamento de pessoas infectadas pelo coronavírus (Sars-Cov-2), o HULW-UFPB dispõe de uma ala específica, com 15 leitos de enfermaria e 12 de Unidade de Terapia Intensiva. Hospital-escola da UFPB e instituição vinculada à Empresa Brasileira de serviços Hospitalares (Ebserh), o centro de saúde inaugurou, em fevereiro passado, uma nova Ala Covid-19, onde foram investidos recursos da ordem de R$ 1 milhão, provenientes da Ebserh, estatal vinculada ao Ministério da Educação (MEC).

Angélica Lúcio - Jornalista HULW-UFPB/Ebserh

 

 

 

Saúde e Vigilância Sanitária