Notícias

Esperança

Pacientes idosos recebem alta da UTI covid de hospital da Rede Ebserh no Recife

Maria Madalena, de 61 anos, ficou 14 dias na terapia intensiva do HC-UFPE/Ebserh. Edmilson Souza, de 68 anos, passou 12 dias
Publicado em 22/05/2020 13h54 Atualizado em 25/05/2020 10h08
22052020 alta idosos hc-ufpe ok 3

Recife (PE) - Dois pacientes idosos venceram a batalha travada contra a covid-19 na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (HC-UFPE/Ebserh), na tarde da terça-feira (19).  Com a forma mais grave da doença, o auxiliar de topografia Edimilson Batista de Souza, de 68 anos, e a dona de casa Maria Madalena de Oliveira, de 61 anos, precisaram ser intubados, reagiram ao tratamento e já se recuperam na Enfermaria de Doenças Infecto Parasitárias/Covid, para receberem a alta hospitalar. O HC é unidade vinculada à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). 

Na saída do BloCO VIDa (UTI montada para receber os pacientes graves de covid no HC) para a Enfermaria, a emoção falou alto na homenagem dos profissionais do hospital, a postos nos corredores, para saudar os pacientes. Maria deu entrada no HC no último dia 6 de maio (14 dias na UTI); e Edimilson, no dia 8 (12 dias na UTI). “Quero agradecer a essa equipe maravilhosa do hospital e agradecer a Deus. Jesus é a cura das Nações”, disse Edimilson, muito emocionado. Agora na Enfermaria, eles estão se fortalecendo e terão sessões de fisioterapia.

Pelo perfil do Instagram do HC-UFPE, o filho de Maria Madalena expressou a sua gratidão. "Sou grato a Deus por ter concedido essa grande vitória à minha mãe, Maria Madalena de Oliveira. Agradecer também a todos os profissionais da saúde, todos que se empenharam e foram de uma generosidade grandiosa. Obrigado Deus e obrigado verdadeiros heróis (toda equipe médica). Deus proteja a todos", escreveu Cleidson Oliveira.

“Cada vida que a gente consegue salvar causa um sentimento indescritível, é a nossa missão. Estamos recebendo pacientes muito graves que precisam ser retirados dessa situação para uma de maior estabilidade clínica, revertendo a falência de órgãos provocada pela inflamação que o vírus promove no organismo. Eles foram intubados porque os pulmões ficaram comprometidos e não realizavam mais as trocas gasosas, precisando da ação de um ventilador mecânico até o organismo ser capaz de reassumir essa função”, explica a médica intensivista do HC Mara Simeão.

O HC tem recebido pacientes com a covid-19 que são encaminhados exclusivamente pela regulação da Secretaria Estadual de Saúde, desde o dia 18 de abril, quando foi aberto o BloCO VIDa, no térreo do hospital-escola. “Ficamos muito angustiados com a grande demanda de pacientes vindos pelo Estado que precisam de UTI, então, quando a nossa equipe consegue tirar as pessoas da gravidade e proporcionar a abertura de vagas para outras é uma recompensa maravilhosa. Uma grande vitória”, afirma a reumatologista Nara Cavalcante, que está atuando no fluxo dos leitos de pacientes da covid no HC com a Central de Regulação estadual.

Atuação da Rede Ebserh

Para o enfrentamento da pandemia de Covid-19, a Rede Ebserh implementou o Comitê de Operações Especiais (COE) para definir estratégias e ações em nível nacional. Desde os primeiros anúncios sobre a Covid-19, a Rede Ebserh tem trabalhando em parceria direta com os ministérios da Saúde e da Educação, com participação nos COEs desses órgãos, e tendo como diretrizes o monitoramento da situação no país e em suas 40 unidades hospitalares.

Tem atuado na realização de treinamento de funcionários da Rede, promoção de webaulas, definição de fluxos e instituição de câmaras técnicas de discussões com especialistas. Promoveu processo seletivo emergencial com a possibilidade de contratação de aproximadamente 6 mil profissionais temporários para o enfrentamento da pandemia

Também disponibilizou R$ 274 milhões para ações contra o coronavírus, recursos do Ministério da Educação (MEC) liberados pela Ebserh de acordo com a necessidade e urgência de cada unidade hospitalar. A verba está sendo utilizada em adequação da infraestrutura, aquisição e manutenção de equipamentos, compra de medicamentos e outros insumos, além de equipamentos de proteção individual.

Em algumas regiões, as unidades da Rede Ebserh têm atuado como hospitais de referência ao enfrentamento do Covid-19, enquanto que em outras, atuam como retaguarda em atendimentos assistenciais para a população, por meio do Sistema Único de Saúde.

Coordenadoria de Comunicação Social da Rede Ebserh