Notícias

Forças Armadas concentram todos os esforços no apoio à população do Amazonas

Publicado em 12/02/2021 12h33 Atualizado em 12/02/2021 12h48
Nota à imprensa 1920x1080-01.jpg


Brasília (DF), 12/02/2021 -
O Ministério da Defesa (MD) repudia veementemente qualquer acusação ou insinuação de indiferença das Forças Armadas diante da crise decorrente da Covid-19 no estado do Amazonas. Acusações e insinuações dessa natureza só podem ser decorrentes de má fé ou de alienação e absoluto desconhecimento dos fatos.

 As Forças Armadas estão diretamente engajadas no combate ao novo coronavírus em todo o País, desde o início da pandemia. A Operação Covid-19 atua em todos os estados, desde março de 2020, mobilizando em média 34 mil militares diariamente.

Justamente por atuarem na linha de frente, o índice de contaminação dos militares tem sido muito superior à média da população. Até o momento, 39.600 militares da ativa já foram contaminados, 12% do efetivo total das Forças Armadas.

 Assim, os hospitais militares têm estado bastante sobrecarregados. Além de tratar os militares da ativa contaminados, esses hospitais devem atender, conforme previsto em lei, milhares de militares inativos, dependentes e pensionistas, que, mensalmente, têm valores descontados em seus pagamentos para os fundos de saúde.

Na atual crise no Amazonas, todos os desafios e as angústias da pandemia também chegaram aos hospitais militares. Para atender os 55.201 usuários que compõem a família militar no estado, existem apenas 26 leitos de UTI, dos quais 18 estão presentemente ocupados, já tendo ocorrido 140 óbitos, situação que evolui a cada dia, em função da grande quantidade de militares contaminados. Por diversos dias de janeiro, a ocupação na UTI de Covid nos Hospitais Militares chegou a 100%. Para evitar o colapso total, 33 militares foram evacuados para outros estados, assim como vem sendo realizado com pacientes civis.

Mesmo assim, as Forças Armadas vêm concentrando todos os seus esforços para apoiar a população do estado do Amazonas. Desde o dia 8 de janeiro, aeronaves da Força Aérea Brasileira estão atuando no transporte de pacientes, bem como de tanques e cilindros de oxigênio, equipamentos de saúde e hospitais de campanha. Foram realizados 186 voos, sendo 63 para remoção de pacientes e 123 para apoio logístico de insumos médicos, totalizando 1.650 horas de voo.

As Forças Armadas disponibilizaram, transportaram e montaram em Manaus dois hospitais de campanha para atender a população.

A fim de contribuir para desafogar o sistema de saúde local, aviões da Força Aérea Brasileira também já transportaram 628 pacientes para outros estados.

As Forças Armadas transportaram um reservatório com 90 mil m³ de oxigênio, 529 tanques de oxigênio líquido, 28 usinas de oxigênio, 5.113 cilindros de oxigênio gasoso, além de 104 respiradores e mais de 10 toneladas de medicamentos.

As Forças Armadas, conforme claramente demonstrado nos fatos apresentados, não têm poupado esforços para apoiar a população, no limite de suas possibilidades.

Centro de Comunicação Social da Defesa (CCOMSOD)
Ministério da Defesa 
(61) 3312-4071